Anitta posta opinião sobre morte de Marielle e apaga minutos depois; fãs questionam

Por Metro Jornal

Anitta vinha sendo cobrada por um posicionamento após o assassinato da vereadora carioca Marielle Franco (Psol), que, a exemplo dela, representava as comunidades fora delas.

Ela deixou explicou porque demorou a se pronunciar e disse que o fez agora, ao contrário do que gostaria, por conta do "ódio gratuito dos internautas".

A cantora escreveu: "Marielle ainda está presente? Espero que sim, espero que pra sempre. Essa seria a melhor demonstração da frase o 'feitiço virou contra o feiticeiro’ que já presenciei. Quem achou que calaria uma voz tão alta com um tiro se enganou. Milhões de brasileiros fizeram com que essa morte não fosse em vão e essa voz não se calasse", afirmou.

Minutos depois, ela apagou o comentário, deixando apenas uma foto das manifestações que pediram Justiça pela morte da vereadora e do motorista do carro em que ela estava, Anderson Gomes.

Os seguidores ficaram sem entender. "Vi que a senhora apagou o texto. Está tudo bem, amore?", escreveu um.

Depois que alguns defenderam que ela poderia se isentar de dar opinião, outro usuário do Instagram respondeu. "Pessoas que acompanham o trabalho dela, podem SIM criticar a postura dela. Que foi péssima, por sinal. A maioria que tá comentando é fã, e estão todos decepcionados com a 'menina que saiu da favela para romper fronteiras', que faz clipe na laje bancando a favelada para ganhar dinheiro e depois não chora junto com a favela".

 

LEIA O POST COMPLETO:

“Eu ia fazer um post daqui um tempo… que era quando eu achava que faria sentido pra mim. Mas não tive muita paciência pra aturar o ódio gratuito dos internautas até lá. Então.. se alguém estiver interessado em saber minha opinião sobre o caso Marielle, leia esse texto imaginando que o escrevi daqui 3 meses. / Marielle ainda está presente? Espero que sim, espero que pra sempre. Essa seria a melhor demonstração da frase o feitiço virou contra o feiticeiro’ que já presenciei. Quem achou que calaria uma voz tão alta com um tiro se enganou. Milhões de brasileiros fizeram com que essa morte não fosse em vão e essa voz não se calasse. Eles pensam “daqui um mês o povo esquece”. Não se esqueçam, povo, por favor. Ainda lembramos da juíza Patricia Acioli (morta nas mesmas circunstâncias)?, ainda lembramos do menino João Hélio? Sentimos a dor da perda de cada policial que morre em serviço? Espero que sim. Não me importa se Marielle era de direita, de esquerda, de frente, de costas , lésbica, ou mãe precoce ou sabe lá mais o que. Ninguém merece morrer. Nada justifica que se tire a vida de qualquer pessoa. Acredito que a própria não pediria a morte dos corruptos que denunciava. Pedir justiça é diferente de pedir a morte. Para mim, Anderson, seu motorista, era tão importante quanto ela, pois são todos seres humanos. Se ela não fosse feminista como eu, também teria meus sentimentos, se nao fosse favelada como eu, também teria meus sentimentos. De esquerda, direita, hetéro, gay, pecador, religioso, o que for… Ninguém merece morrer.”

 

 

https://www.instagram.com/p/BgguU3rFbTp/?taken-by=anitta

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo