Barry Jenkins revela discurso que havia preparado para o Oscar de Moonlight

Por Estadão Conteúdo

O diretor Barry Jenkins, que ganhou o prêmio de melhor filme no Oscar de 2017 por "Moonlight", revelou nesta semana o discurso que havia preparado para ler ao ganhar a estatueta. Como houve a confusão na hora da entrega do prêmio, ele acabou não tendo a chance de dizer o que gostaria.

Durante painel no festival South by Southwest (SXSW), Jenkins falou sobre a luta para se estabelecer como diretor em Hollywood por conta de ser negro e como sua carreira começou no festival, quando o filme "Remédio para a Melancolia" estreou no SXSW em 2008.

Leia mais:
Noah Schnapp, o Will de Stranger Things, virá ao Brasil em outubro
Foto dos bastidores de X-Men: Fênix Negra revela uniformes dos mutantes do filme

Ele aproveitou o painel para ler o discurso que teria feito no Oscar.

"Tarell (Alvin McCraney, que escreveu o livro em que o filme foi baseado e elaborou com Jenkins o roteiro) e eu somos Chiron. Nós somos aquele garoto. E quando você assiste a Moonlight, você não acha que um garoto que cresceu naquele lugar e daquela forma poderia crescer e fazer uma obra que ganhasse um Oscar. Eu disse aquilo para mim mesmo várias vezes, me limitando Eu me neguei aquele sonho. Não vocês ou qualquer outra pessoa, mas eu mesmo. Então, para qualquer um que se veja assistindo ao filme: deixe-nos ser esse símbolo, um reflexo que levará você a se amar. Porque fazer isso pode ser a diferença entre sonhar e, graças à Academia, realizar sonhos a que você nunca se permitiu. Obrigado", disse o diretor.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo