Imposto de Renda 2018: quais foram as principais mudanças?

Por Metro Jornal

A Receita Federal está recebendo as declarações do Imposto de Renda 2018, referentes aos rendimentos de 2017. Desde o início do mês de março o programa para fazer a prestação de contas já está disponível, no site da Receita. Quem vai fazer a declaração têm até o dia 30 de abril.

Aqueles que não declararem serão obrigados a pagar uma multa, que pode variar entre R$ 165,74 e 20% do imposto devido. É possível fazer a declaração de forma simplificada, mas essa opção elimina o direito ao abatimento por educação ou saúde, como previsto em lei.

A principal diferença este ano é que a Receita Federal passou a exigir o CPF de todos os dependentes que tenham mais de 8 anos de idade. Até então, a regra valia apenas para crianças maiores de 12 anos. Então é bom ficar atento, porque a Receita informou que a partir de 2019 passará a cobrar o CPF de todos os dependentes, qualquer que seja a idade deles.

Além disso, a declaração está vindo com campos onde é possível adicionar informações complementares. Por exemplo, no caso dos imóveis dá para incluir a data de compra, enquanto na seção de contas correntes é possível preencher o CNPJ da instituição financeira. Não é obrigatório ainda, mas essa pode ser uma forma de diminuir os erros na hora da Receita analisar a declaração.

Outra mudança é que agora o programa para fazer a declaração está mais seguro, de acordo com a Receita. Isso porque antes de começar o preenchimento, o usuário deve criar uma palavra-chave. Com esse recurso, dá para continuar declarando em outro momento. Além do programa para computador, é possível fazer direto pelo site – via e-CAC (Centro Virtual de Atendimento) – e pelo aplicativo Meu Imposto de Renda – disponível para celulares iPhone ou com o sistema Android.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo