Taxa de desemprego no Brasil cai a 4,7%, menor nível para outubro, diz IBGE

Por Carolina Santos
O trabalhador poderá acionar a Justiça em dois anos para cobrar os débitos, mas somente dos cinco anos anteriores - e não mais de 30 anos | Marcello Casal Jr/ABr Esse é o menor nível de desemprego para outubro | Marcello Casal Jr/ABr

A taxa de desemprego caiu a 4,7% no mês passado em seis regiões metropolitanas do país, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). É a menor taxa para meses de outubro desde o início da série histórica, em 2002.

Em setembro passado, a taxa de desemprego havia ficado em 4,9% em setembro. O resultado de outubro também é o menor visto neste ano.

“No caso da comparação mensal, essa movimentação na taxa ocorreu por conta da maior ocupação e da menor procura e menor pressão sobre o mercado de trabalho”, afirmou a economista do IBGE, Adriana Beringuy. “Tivemos um aumento da ocupação, o que não se via nos últimos meses”, acrescentou.

No mês passado, a população ocupada cresceu 0,8% sobre setembro, chegando a 23,278 milhões de pessoas, enquanto que a desocupada caiu 3,5% na comparação mensal, atingindo 1,142 milhão de pessoas.

Os números se referem a seis regiões metropolitanas: Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

O IBGE informou ainda que a renda média real subiu 2,3% em outubro sobre setembro, a R$ 2.122,1.

Também foi constatada alta no rendimento em relação ao mesmo mês do ano passado, quando a média era de R$ 2.041,10. Nessa comparação, o crescimento chegou a 4%.

O cenário econômico brasileiro tem sido marcado pelo fraco desempenho econômico e inflação elevada. Pesquisa Focus do Banco Central com economistas de instituições financeiras mostra que, pela média, as expectativas são de que o PIB (Produto Interno Bruto) crescerá apenas 0,21% este ano, bem abaixo dos 2,5% vistos em 2013.

A economia brasileira fechou mais de 30 mil postos formais de trabalho em outubro, no pior desempenho para o mês desde pelo menos 1999, segundo números do Ministério do Trabalho.

Pelos dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua, divulgados recentemente pelo IBGE e de abrangência nacional, no segundo trimestre a taxa de desemprego no Brasil havia caído para 6,8%. No primeiro trimestre do ano, o indicador havia ficado em 7,1%.  

arte desemprego

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo