Brasil cai nove posições em ranking igualdade de gêneros

Por lyafichmann

O Brasil caiu nove posições no ranking de igualdade de gênero do Fórum Econômico Mundial. O país passou da 62ª posição no ano passado para 71ª colocação na lista atual, que avaliou as diferenças entre homens e mulheres na saúde, educação, economia e indicadores políticos em 142 países.

Apesar de ter mantido a igualdade nas áreas de saúde e educação, o Brasil perdeu posições nos índices que medem participação feminina na economia e na política.

A maior queda ocorreu na avaliação que considera salários, participação e liderança feminina no mercado de trabalho: o Brasil foi da 74ª para a 81ª posição. Segundo o relatório, houve uma “ligeira queda na igualdade salarial e renda média estimada” para mulheres no país.

Outro índice que fez o Brasil perder posições no ranking foi o de “empoderamento” político das mulheres. O quesito considera a presença feminina no Congresso, em posições ministeriais e na chefia de Estado. Neste índice, o Brasil perdeu colocações na comparação com outros países, apesar de ter melhorado sua nota individual, passando da 68ª para 74ª posição.

Em educação, o Brasil atingiu a nota máxima, o que significa que não há desigualdade entre homens e mulheres. Na saúde, ele está em 1º lugar, empatado com outros países.

O relatório destaca que o Brasil conseguiu fechar 70% da lacuna entre os gêneros. Segundo o documento, a sua queda no ranking aconteceu mesmo tendo fechado com sucesso ambas as lacunas entre gêneros no nível educacional e de saúde. “Sua prioridade agora deve ser de garantir retornos em seus investimentos através do aumento da participação feminina na área de trabalho”, diz.

201410129_SP12_Ranking

Loading...
Revisa el siguiente artículo