Por reajuste, bancários de todo o país entram em greve

Por Tercio Braga
Bancários usaram faixas para protestar, no Centro de São Paulo | Caetano Cury/Rádio Bandeirantes Bancários usaram faixas para protestar, no Centro de São Paulo | Caetano Cury/Rádio Bandeirantes

Bancários de bancos públicos e privados do Distrito Federal e mais 20 estados entraram em greve nesta terça-feira, por tempo indeterminado. Assembleias realizadas na noite de segunda-feira reafirmaram a paralisação, que já havia sido votada na última quinta-feira (25).

Por conta da greve, alguns bancos da região central de São Paulo amanheceram com cartazes informando o início da paralisação dos bancários. Na Rua Boa Vista, no centro da capital, rua de tradicional concentração bancária, funcionários de algumas agências privadas estenderam faixas com dizeres como “estamos em greve”.

O cenário foi registrado na porta de bancos privados como Itaú, Santander, HSBC e Bradesco. As agências da Caixa Econômica Federal do Centro amanheceram sem sinais de paralisação.

No Banco do Brasil da Rua Líbero Badaró, também há cartazes e faixas e um grupo de funcionários que deveria ter assumido o turno de trabalho às 7h.

Segundo a Contraf, um balanço do primeiro dia de greve será divulgado no final da tarde desta terça-feira, com base nas informações que serão enviadas pelos sindicatos.

Reivindicações

Os trabalhadores reivindicam reajuste de 12,5%, sendo 5,8% de aumento real. Eles também pedem Participação no Lucros e Resultados (PLR) de três salários, além de uma parcela adicional de R$ 6.247, piso de R$ 2.979,25 e vales alimentação, refeição, décima terceira cesta e auxílio-creche/babá no valor de R$ 724. No último sábado (27), os bancos haviam elevado o índice de reajuste de 7% para 7,35% para os salários e de 7,5% para 8% para os pisos.

O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Carlos Cordeiro, alegou que os bancos podem oferecer um reajuste maior, considerando o lucro que tiveram. “Foram oito rodadas de negociações, onde os bancos apresentaram uma proposta de aumento real de 0,94%. É muito pouco, diferentemente do lucro dos bancos. Só os seis maiores bancos do país tiveram lucro líquido de R$ 56,7 bilhões em 2013 e mais R$ 28,5 bilhões no primeiro semestre deste ano”.

Cordeiro lembrou ainda que a categoria reivindica mudanças nas cláusulas sociais. Dentre elas, está a alteração na cobrança de metas que devem ser alcançadas pelos empregados. O presidente da Contraf alertou que vários profissionais sofrem problemas de saúde em função da pressão para atingir metas de produtividade. “O bancário não pode empurrar produtos que o cliente não quer, fazer venda casada. Os bancários acabam levando essa pressão para dentro de casa, da família. Se não cumprem a meta, são demitidos. São 18,6 mil bancários afastados por problemas psíquicos”.

De acordo com balanço da Contraf, até as 9h45 desta terça-feira, a greve havia sido aprovada nas assembleias dos seguintes sindicatos: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis, Campo Grande, Pernambuco, Mato Grosso, Bahia, Alagoas, Paraíba, Ceará, Piauí, Acre, Sergipe (exceto Banese), Pará, Amapá, Rondônia, Roraima, Espírito Santo, Maranhão, Rio Grande do Norte, ABC (SP), Bragança Paulista (SP), Campinas (SP), Mogi das Cruzes (SP), Piracicaba (SP), Campina Grande (PB), Cariri (CE), Juiz de Fora (MG), Teófilo Otoni (MG), Uberaba (MG), Campos de Goytacazes (RJ), Itaperuna (RJ), Teresópolis (RJ), Campina Grande (PB), Barra das Garças (MS), Itabuna (BA), Vitória da Conquista (BA), Extremo Sul da Bahia (BA), Camaçari (BA), Feira de Santana (BA), Ilhéus (BA), Irecê (BA), Jacobina (BA), Jequié (BA), Juazeiro (BA), Dourados (MS), Apucarana (PR), Arapoti (PR), Guarapuava (PR), Cornélio Procópio (PR), Londrina (PR), Paranavaí (PR), Umuarama (PR), Araranguá (SC), Bagé (RS), Bento Gonçalves (RS), Cachoeira do Sul (RS), Camaquã (RS), Cruz Alta (RS), Erechim (RS), Litoral Norte (RS), Passo Fundo (RS), Rio Grande (RS), Santa Cruz do Sul (RS), Santa Rosa (RS), Santo Ângelo (RS), São Leopoldo (RS), Uruguaiana (RS), Vacaria (RS), Vale do Caí (RS) e Vale do Paranhana (RS).

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo