Vendas dos comércio têm pior resultado em 2 anos

Por Tercio Braga

desemepnho-vendas-varejo-abril-maio-junhoPrejudicadas pela Copa do Mundo, as vendas no varejo do Brasil recuaram 0,7% em junho sobre maio. O resultado reforça as expectativas de que o país entrou em recessão técnica no primeiro semestre.

A queda em junho foi a terceira no ano e a pior desde maio de 2012 (-0,8%), segundo dados divulgados ontem pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Sobre junho de 2013, as vendas subiram 0,8%, forte desaceleração ante a alta de 4,7% em maio na mesma base de comparação.

“Na Copa, tivemos menos dias úteis e isso impactou as vendas, principalmente móveis, combustíveis, livros e eletrodomésticos”, disse a gerente do IBGE, Juliana Paiva.

Sete das oito atividades pesquisadas no varejo restrito tiveram queda na comparação mensal em volume de venda, com destaque para livros, jornais, revistas e papelaria (-5,3%) e móveis e eletrodomésticos (-2%). A Copa apenas trouxe um pouco de alívio para a atividade de supermercados, com alta mensal de 0,6%. No varejo ampliado, que inclui veículos e material de construção, o cenário é ainda pior, com queda de 3,6%. Só a venda de veículos encolheu 12,9%.

Risco de recessão

O cenário geral do varejo alimenta a perspectiva de recessão na primeira metade do ano. Os dados oficiais do IBGE são de que no primeiro trimestre de 2014 o PIB cresceu apenas 0,2% na comparação com os últimos três meses de 2013. Mas esse número pode ser revisado para zero ou queda de 0,1%. Se ficar negativo, o país entraria em recessão técnica por registrar dois trimestres seguidos de contração. 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo