Bolsa de valores tem a maior alta em quase sete meses

Por fabiosaraiva
Perspectiva é de menos intervenção em estatais com um novo governo |  Danilo Verpa/Folhapress Perspectiva é de menos intervenção em estatais com um novo governo | Danilo Verpa/Folhapress

Os investidores foram às compras com a queda da aprovação do governo Dilma Rousseff em março. Com isso, a Bovespa fechou nesta quinta-feira com a maior alta em quase sete meses, em um pregão de grande volume financeiro.

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, encerrou em alta de 3,5%, a 49.646,79 pontos. É o maior ganho percentual diário desde 2 de setembro, quando o índice subiu 3,65%.

A alta foi puxada, principalmente, pelo bom desempenho das ações das estatais Petrobras, Eletrobras e Banco do Brasil. Os investidores analisaram a divulgação de pesquisa da CNI (Confederação Nacional da Indústria) em parceria com o Ibope,  que mostrou que o índice de aprovação ao governo da presidente Dilma Rousseff caiu de 43% para 36%.

O mercado tem desaprovado as interferências do governo na administração das estatais. E uma possível derrota de Dilma nas eleições  deixou os investidores mais otimistas. Das 72 ações que compõem o índice, apenas duas fecharam em queda: Oi (-0,31%) e Dasa (-0,07%).

No mercado de câmbio, o dólar comercial fechou em queda de 1,75%, cotado a R$ 2,268 na venda, menor patamar desde o início de novembro. Ainda não está claro para os analistas, no entanto, se a moeda norte-americana deve se acomodar nesses níveis mais baixos.

Os papéis preferenciais da Petrobras, mais negociados e sem direito a voto, avançaram 8,12%. Já as ações ordinárias da companhia, menos negociadas e com direito a voto, tiveram ganho de 7,55%.

As ações ordinárias da Eletrobras subiram 9,84%, enquanto os papéis preferenciais da companhia avançavam 3,52%. Já o Banco do Brasil viu suas ações ganharem 6,63%.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo