Dilma atribui a parecer falho a compra de refinaria no Texas

Por Tercio Braga

Por meio de uma nota à imprensa, a Presidência da República esclareceu que a presidente Dilma Rousseff se baseou em um parecer falho, quando votou favoravelmente pela compra de uma refinaria no Texas, pela Petrobras.

Segundo o jornal “O Estado de São Paulo”, Dilma votou pela aprovação do negócio, em 2006, quando comandava o Conselho de Administração da estatal. A Petrobras comprou 50% da refinaria de Pasadena, por 360 milhões de dólares. E posteriormente foi obrigada a comprar o restante de uma empresa belga.

A obrigação de comprar 100% da refinaria fazia parte de uma cláusula do contrato, que segundo a nota da Presidência da República foi omitida do documento que serviu de base para a Petrobras aprovar a compra. Na época da operação, o presidente da estatal era Sérgio Gabrielli.

A nota divulgada hoje afirma também que a compra da refinaria de Pasadena já é alvo de investigações da Polícia Federal, do Tribunal de Contas da União, do Ministério Público e do Congresso, por suspeita de superfaturamento e evasão de divisas.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo