Consumidor pode ser obrigado a remarcar a passagem aérea na Copa

Por Tercio Braga

Dezesseis mil passageiros serão obrigados a replanejar viagens de avião no período da Copa do Mundo no Brasil. Por questões de segurança, alguns aeroportos ficarão fechados durante os jogos e centenas de voos serão cancelados.

Quem comprou ou reservou passagens aéreas no período da Copa deve começar a ser avisado sobre os cancelamentos dos voos essa semana. A medida de segurança que cria zonas de exclusão no espaço aéreo brasileiro vai mudar os planos nos horários dos jogos do mundial. Só de voos cancelados são 805. Fora os 150 que vão ser remanejados para outros aeroportos.

A proibição dos voos perto dos estádios vai provocar o fechamento para pousos em alguns terminais. As decolagens também vão ter restrições. Apenas voos militares terão permissão de circular nessas áreas.

As restrições vão afetar passageiros de voos comerciais em seis cidades durante a copa: Manaus, Cuiabá, Fortaleza, Belo Horizonte, Curitiba e Rio de Janeiro. Em todos esses lugares os aeroportos estão dentro de um raio de sete quilômetros a partir do estádio onde estará acontecendo o jogo, como o Santos Dumont, no Rio. Aqui, no dia da final, o espaço aéreo ficará fechado por até sete horas.

Isso porque a medida começa a valer três horas antes da decisão, com uma margem para depois da partida. Nos outros jogos, os espaços aéreos serão fechados uma hora antes do apito inicial.

Por lei, as companhias que já venderam os bilhetes são obrigadas a acomodar os passageiros em outros voos, de acordo com a conveniência do cliente. Caso contrário, a empresa terá de reembolsar o valor da passagem.

Loading...
Revisa el siguiente artículo