Juros ao consumidor sobem para 39,9% em janeiro

Por fabiosaraiva

Após registrar queda em dezembro, a taxa média de juros de financiamentos com recursos livres cobrada do  consumidor aumentou 1,9 ponto percentual em relação e atingiu em janeiro 39,9% ao ano. É a maior patamar desde março de 2012, quando estava em 41,2% ao ano, segundo dados do BC (Banco Central), divulgados nesta quinta-feira.

O encarecimento do crédito acompanha a elevação da taxa básica de juros. Na última quarta-feira, o BC aumentou a Selic pela oitava vez seguida, de 10,50% para 10,75% ao ano.

Entre as modalidades de crédito, o juro do cheque especial foi o que mais subiu em janeiro. A taxa chegou a 154% ao ano, com alta de 6,1 ponto percentual em relação a dezembro. Essa é a taxa mais elevada desde junho de 2012 (156,7% ao ano).

As famílias voltaram a recorrer ao uso do cheque especial, a modalidade mais cara de crédito. O saldo de crédito dessa modalidade subiu 7,7% de dezembro para janeiro, ao chegar a R$ 21,766 bilhões.

Segundo o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel, em dezembro, quando há pagamento de 13º salário, os clientes bancários costumam usar a renda extra para sair o cheque especial, mas em janeiro o saldo voltou a subir.

“Isso acontece todo ano. As pessoas usam a renda de fim de ano para sair do cheque especial, onde há taxas mais caras. Há uma recomposição em janeiro”, diz Maciel.

O crédito total da economia ficou praticamente estacionado em janeiro. O volume geral subiu apenas 0,1% no mês passado e ficou em R$ 2,7 trilhões. As concessões de novas empréstimos tiveram uma queda 18,8% no mês passado. Foram concedidos R$ 290 bilhões.

20140228_SP19_Confira-Taxas


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo