ONS volta a reduzir previsão para nível de reservatórios

Por Caio Cuccino Teixeira

O ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) voltou a reduzir a previsão de armazenamento de água, ao final de fevereiro, para os reservatórios de hidrelétricas do Sudeste e Centro-Oeste. Segundo o último relatório do ONS, o nível das represas das duas regiões deve ser de 34,2%, em média, no dia 28 de fevereiro. Na semana passada, a previsão era de 35,6%. Na primeira semana de fevereiro, essa previsão era de 41,5%.

Mesmo com a ocorrência de chuva em áreas como São Paulo e Goiás, houve uma pequena queda no nível dos reservatórios das duas regiões, responsáveis por cerca de 70% da capacidade de geração de energia no país. O nível das represas do Sudeste e Centro-Oeste era, em média, de 35,54% no domingo, 0,1 ponto percentual menor em relação ao dia anterior.

O volume de água desde o início do mês é o mais baixo desde 2001, ano do racionamento. Segundo o presidente da EPE (Empresa de Pesquisa Energética), Maurício Tolmasquim, não há, no entanto, qualquer risco de racionamento neste ano. “Vamos passar este ano sem racionamento”, garantiu.

Para ele, a situação estrutural do sistema elétrico está bem melhor, com uma oferta em dobro da capacidade em usinas térmicas, além de outras energias alternativas, e maior número de linhas de transmissão.

Segundo o presidente da EPE, o Sudeste passa pela terceira maior seca desde 1931 nos dois primeiros meses do ano, mas o país conta com uma oferta maior do que a demanda. “Existe 95% de probabilidade de, com essa capacidade instalada que temos hoje, ter um excedente de 6 mil megawatts médios.”

De acordo com a ONS, apenas a região Sul apresentou melhora na projeção de armazenamento para o fim do mês, em relação à última expectativa, passando de 36,8% para os atuais 41,6%.

nivel-reservatorios-arte


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo