Inflação aumenta custo do governo, afirmam especialistas

Por fabiosaraiva
O professor Ricardo Teixeira, da FGV | Reprodução/FGV O professor Ricardo Teixeira, da FGV | Reprodução/FGV

A expectativa de que a inflação resista nos próximos meses tem elevado o custo para o governo se financiar. Segundo especialistas, a probabilidade de que o Banco Central continue a elevar a taxa Selic – juros básicos da economia – para conter os preços é o principal fator que impulsiona as taxas dos títulos públicos.

De acordo com o professor de estratégias empresariais Ricardo Teixeira, da Fundação Getúlio Vargas, a preocupação de que a inflação permaneça alta em 2014 pressiona os juros dos títulos públicos por causa do aumento das chances de que o BC promova novos aumentos na taxa Selic, atualmente em 10,5% ao ano.

“Os investidores olham como a inflação e os juros vão se comportar. O mercado considera o quanto a inflação vai resistir e quanto tempo deverá durar o ciclo de alta da Selic para formar os juros dos títulos públicos”, explica Teixeira. As preocupações, ressalta, aumentaram depois que a ata do Comitê de Política Monetária do BC, divulgada na quinta-feira, indicou a possibilidade de a Selic continuar a subir.

Segundo o Boletim Focus, pesquisa semanal com instituições financeiras divulgada pelo BC, os investidores acreditam que a inflação oficial pelo IPCA  (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) fechará 2014 em 6,01%. Pela segunda semana seguida, a estimativa aumentou.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo