Aluguel novo fecha 2013 com alta de 9,48% em São Paulo

Por Caio Cuccino Teixeira

Os contratos novos de aluguel residencial assinados na cidade de São Paulo subiram, em média, 9,48% no ano passado em relação a 2012. Somente em dezembro, os preços ficaram 0,7% maiores que os de novembro, segundo pesquisa do Secovi-SP (Sindicato da Habitação).

A variação no acumulado do ano foi superior à alta do IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), que atingiu 5,51% no período. O índice é utilizado para reajustar a maioria dos contratos em andamento.

Segundo Walter Cardoso, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi-SP, a valorização imobiliária na comercialização de imóveis residenciais e a escassez de moradias para aluguel são os principais fatores que vem contribuindo para aumentos acima da inflação nos últimos ano.

“O mercado de locação ainda apresenta variações anuais superiores à inflação, mas tende, em 2014, a registrar altas muito próximas à oscilação dos principais indicadores de preços”, diz.

As residências com os maiores acréscimos em dezembro foram os imóveis de 2 dormitórios, cujos valores de locação subiram em média 0,9%. As unidades de 3 quartos tiveram alta de 0,6% e os de 1 quarto, de 0,4%.

A modalidade de garantia mais utilizada em dezembro foi o fiador, que respondeu por 47,5% dos contratos de locação. O depósito de três meses de aluguel garantiu 32,5% dos imóveis locados. Cerca de um em cada cinco imóveis recorreu ao seguro-fiança.

Em dezembro, as casas foram alugadas mais rapidamente do que os apartamentos. Elas foram escoadas num período entre 15 e 35 dias. Os apartamentos demoraram um pouco mais: de 20 a 41 dias.

aluguel-contratos-residenciais-arte

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo