Principais credores definirão executivos para gestão da OGX

Por talita

A petroleira OGX fechou um acordo com os detentores dos bônus de dívida internacional, os principais credores da companhia de Eike Batista. A nova estrutura societária foi acertada na véspera do Natal: será uma empresa ‘sem dono’, com ações nas mãos de dezenas de investidores.

Entretanto, a gestão ficará a cargo de executivos indicados pelos principais credores, que são os fundos Pimco, BlackRock, Ashmore e GSO.

O objetivo da operação é tentar fazer com que a OGX consiga sair da recuperação judicial ainda em março de 2014, o que faria desse processo um recorde.

O acordo encerra quatro meses de negociações e é um passo decisivo no processo de reestruturação da petroleira, que tem quase US$ 14 bilhões em dívidas.

Recuperação
A manobra é um importante passo para recuperação da companhia e, após sua execução, os credores da empresa passarão a deter perto de 90% dela, enquanto Batista verá sua participação cair para 12%.

Segundo a empresa, o acordo permitirá a extinção da dívida e o regresso às atividades de exploração e produção de petróleo. A proposta de reestruturação precisa ainda ser aprovada pelos credores e pelo juiz responsável pelo processo.

No fim de outubro, a OGX entrou com pedido de recuperação judicial no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. O processo, que ficou a cargo do juiz Gilberto Clóvis Farias Matos, da 4ª Vara Empresarial, foi aceito no fim de novembro.

Por meio da recuperação judicial, uma empresa sem caixa para pagar dívidas negocia um plano de reestruturação com os credores sob a supervisão de um juiz. Os credores têm 180 dias, a partir da publicação do despacho do juiz, para aprovar a proposta em assembleia. Se o acordo for aceito, o plano terá de ser implementado à risca. Caso algum dos credores conteste a proposta, a falência é decretada.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo