Após fala de Tombini, Dólar emenda quarta baixa seguida

Por Carolina Santos
Presidente do BC participou de audiência no Senado | Divulgação/Agência Senado Presidente do BC participou de audiência no Senado | Divulgação/Agência Senado

O dólar recuou pela quarta sessão consecutiva, voltando a R$ 2,30, dando continuidade ao movimento de ajuste ao cenário de manutenção do programa de intervenções diárias do BC (Banco Central) no ano que vem e a um novo leilão da autoridade monetária. A moeda norte-americana recuou 0,46%, a R$ 2,3087 na venda, após cair 0,33%, para 2,3193.

Nas quatro últimas sessões, o dólar acumula perda de 3,36%, na série mais longa de baixas desde o início de setembro, pouco após o BC anunciar o programa de rações diárias.

O BC anunciou na semana passada a continuidade do programa para o ano que vem. Ontem, o presidente da autoridade monetária, Alexandre Tombini, afirmou que os detalhes sobre como as intervenções serão divulgados no fim da próxima semana.

Ao defender o programa cambial, ele disse não pretender levar o câmbio para patamares específicos. “O fornecimento de proteção cambial não foi desenhado para atingir qualquer nível específico da taxa de câmbio, mas justamente para evitar excesso de excitação nessa importante variável da economia”, disse Tombini em apresentação na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado.

O presidente do BC defendeu ainda que o Federal Reserve retire os estímulos à economia dos Estados Unidos o quanto antes, ao avaliar que isso traria menos volatilidade aos mercados.

“Consequentemente, mais suave será o período de transição para a economia mundial”, acrescentou.

 

Selic e inflação 

No Senado, Tombini afirmou também que há alguma incerteza sobre a intensidade com que a inflação irá reagir às elevações da taxa básica de juros.

Com isso, Tombini reforçou o discurso da ata da última reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) do BC, que levou parte dos economistas a apostar em uma redução do ritmo de alta da Selic. O presidente do BC disse que, entre junho e novembro, a inflação entrou em trajetória de queda.

 

Indicadores

 

5,22%

é a variação do IGP-M no acumulado em 12 meses. Na primeira prévia de dezembro, a inflação do aluguel acelerou para 0,32%, após subir 0,30% no mesmo período de novembro.

11

dos 14 locais pesquisados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) elevaram a produção industrial entre setembro e outubro, com destaques para Ceará (3,8%), Pernambuco (2,9%), Pará (2,6%) e São Paulo (2,5%).

31% 

é o aumento projetado pelas companhias aéreas no transporte de passageiros de 2013 a 2017, informou  a Iata, a associação internacional do setor. Segundo a entidade, o Brasil será o terceiro maior mercado doméstico, depois de Estados Unidos e China.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo