Preço do tomate fica 15,82% mais caro no mês de outubro

 | André Porto/Metro Grupo de alimentos foi o que mais influenciou a alta do IPCA| André Porto/Metro

O IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor Semanal) subiu de 0,45% para 0,49% entre a segunda e a terceira prévia deste mês de outubro, puxado, principalmente,  pelos alimentos, com destaque para o tomate, que ficou, em média, 15,82% mais caro, ante 7,91% na segunda prévia, e o pão francês com alta de 2,55%, ante 2,22%.

O levantamento feito pelo Ibre (Instituto Brasileiro de Economia) da FGV (Fundação Getúlio Vargas) mostra que, dos oito grupos pesquisados, o de alimentos foi o que apresentou a maior alta (0,79% ante 0,63%). O índice foi pressionado também por refeições em bares e restaurantes, com avanço de 0,62% ante 0,58% e por aluguel residencial (de 0,73% para 0,77%).

Além dos alimentos, também registraram acréscimos os seguintes grupos: educação, leitura e recreação (de 0,32% para 0,49%); habitação (de 0,54% para 0,57%) e despesas diversas (de 0,07% para 0,14%). Em sentido oposto, diminuíram a intensidade dos aumentos: transportes (de 0,06% para 0,02%); saúde e cuidados pessoais (de 0,47% para 0,43%) e vestuário (de 0,91% para 0,75%).

Loading...
Revisa el siguiente artículo