Governo não cogita alterar forma de leilão, diz ministro da Fazenda

Por Tercio Braga
Mantega destacou que o governo continua buscando modelos atraentes para as empresas para gerar competição | Elza Fiuza/ABr Mantega destacou que o governo continua buscando modelos atraentes para as empresas para gerar competição | Elza Fiuza/ABr

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta segunda-feira que o governo não cogita alterar o modelo de leilão usado para o Campo de Libra, o primeiro do pré-sal, arrematado no início da tarde. Mantega ressaltou que julga adequado o modelo de concessão para reservas de risco e o de partilha para poços que têm petróleo assegurado, como o de Libra, localizado na Bacia de Santos.

Veja também
Ato contra o leilão do pré-sal deixa pelo menos 7 feridos
Consórcio arremata campo de Libra pelo lance mínimo

“Os dois modelos são compatíveis. Não vejo razão para uma mudança no modelo, principalmente agora, que vimos que funciona. Mas nada impede que [os modelos] possam ser aperfeiçoados. No momento, o governo não está cogitando em fazer mudança”, disse o ministro em entrevista coletiva no escritório da Presidência da República em São Paulo.

Sobre o fato de apenas um consórcio ter se habilitado para o leilão, Mantega destacou que o governo continua buscando modelos atraentes para as empresas para gerar competição. “Só que, como nós estamos falando de grandes somas de investimentos, e também de grande capacidade tecnológica, isso limita um pouco a participação.”

Mantega ressaltou, no entanto, que o governo ficou satisfeito com o consórcio vencedor mas, no futuro, espera que possa haver leilões com mais concorrentes. O grupo que arrematou o Campo de Libra é formado pela anglo-holandesa Shell, a francesa Total, as chinesas CNPC e Cnooc e a brasileira Petrobras

“[Outras empresas] não devem ter participado por questões estratégicas, ou têm outros investimentos a fazer, ou não cabia no portifólio, ou não julgaram interessante. Cada empresa é que deve dizer. Mesmo que seja um consórcio, mas ele foi um consórcio com várias empresas e é perfeitamente satisfatório”, concluiu.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo