Preço e qualidade da rede são desafios para tecnologia 4G

A oferta de modelos de smartphones com internet móvel de quarta geração (4G) mais que dobrou nos últimos seis meses no país, mas o preço alto e rede limitada continuam a ser desafios para ampliar a base de usuários da tecnologia.

Dados da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) mostram que o número de modelos 4G homologados pela agência passou de onze, em abril, quando foi iniciada a oferta no país, para 31 no início de outubro. Só as operadoras Claro e Vivo pretendem lançar até o fim do ano mais 14 modelos.

Apesar do aumento da oferta, o número de usuários do 4G continua baixo na comparação com o total de usuários de internet móvel no país. Segundo a Anatel, em agosto, a banda larga móvel totalizava 85,31 milhões de acessos, dos quais apenas 398,62 mil vinham de terminais 4G.

Um dos principais desafios para a ampliação da base de clientes ainda é o alto preço desses smartphones, disse o analista de mercado do IDC, Leonardo Munin, ressalvando que o cenário está mudando.

Os preços variam dependendo do plano do cliente, mas no pré-pago da Claro, por exemplo, celulares 4G como o Moto X chegam a custar
R$ 2.399. A Vivo não informou o preço de seus smartphones 4G. Procuradas, TIM e Oi não se pronunciaram.

Na opinião do gerente de produto da Motorola, Renato Arade, a ampliação da infraestrutura de rede por todo o país também é um problema. “Hoje temos produtos com 4G, mas no Brasil, só nas maiores cidades o usuário consegue o benefício”, disse.

Loading...
Revisa el siguiente artículo