Anfavea quer fortalecer leasing para aquecer vendas de veículos

Por Tercio Braga
Segundo o relatório divulgado nesta sexta pela entidade, foram vendidos 309,8 mil carros em setembro, ante 329,1 mil no mês anterior | Marcelo Camargo/ABr Segundo o relatório divulgado nesta sexta pela Anfavea, foram vendidos 309,8 mil carros em setembro, ante 329,1 mil no mês anterior | Marcelo Camargo/ABr

A queda de 5,9% na venda de veículos novos no país, registrada em setembro, na comparação com agosto, é reflexo da seletividade na concessão de financiamentos pelos bancos, explicou o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan Yabiku Júnior, ao comentar números do setor divulgados nesta segunda-feira pela entidade.

O presidente da Anfavea informou que está negociando com o governo, como forma de melhorar o desempenho das vendas, a reestruturação da operação bancária chamada leasing, em que há opção de compra ao final do aluguel de um veículo, para dar mais segurança jurídica para a modalidade. “Eu tenho convicção de que, ainda no mês de outubro, nós poderemos contar com esse instrumento no mercado brasileiro”, disse ele.

Em 2008, disse Moan, o leasing respondeu por 38% do volume de financiamento de veículos. Hoje, esse percentual caiu para menos de 2%. De acordo com ele, o grande fator de desestímulo para a utilização dessa operação foi a tentativa de transferência de encargos, como multas de trânsito, para a empresa financeira.

“Isso vinha ocorrendo com um volume crescente e acabou desestimulando o mercado. O que nós estamos tentando buscar é que não haja essa possibilidade de transferência, a nosso ver, incorreta, e que acabou travando todo o mercado”, declarou.

Moan destacou que a projeção de crescimento nas vendas para o final do ano está mantida entre 1% e 2%, mesmo que o retorno do leasing não ocorra. Ele apontou como um dos fatores de estímulo para que o sistema financeiro continue aprovando empréstimos, a queda na inadimplência. Segundo o dirigente, a manutenção do volume de financiamentos ajudará o setor automobilístico a alcançar a sua meta.

“Quando eu falo que o sistema financeiro ficou mais seletivo, isso não significa que ele tirou o pé, mas deixou de crescer. Ele está mantendo o volume de financiamento estável de um mês para o outro, sem grandes saltos”, declarou.

Segundo o relatório divulgado nesta sexta pela entidade, foram vendidos 309,8 mil carros em setembro, ante 329,1 mil no mês anterior. “Eu tinha expectativa de um volume um pouco superior”, disse Moan. Quanto à produção, em setembro, foram fabricadas 332 mil unidades. Em relação ao mesmo mês de 2012, houve aumento de 15,2%. Nos nove primeiros meses deste ano, o país produziu 13,9% mais unidades do que no mesmo período de 2012.

Loading...
Revisa el siguiente artículo