Mantega diz que Brasil enfrenta ‘minicrise’

Por Carolina Santos
Guido Mantega | José Cruz/ ABr Guido Mantega | José Cruz/ ABr

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que o Brasil e outros mercados emergentes enfrentam uma “minicrise”, mas a economia do país permanece “sólida”. A declaração foi feita ontem a empresários, em São Paulo, em um referência à atual situação econômica e cambial.

Para Mantega, o impacto dessa minicrise deve ser  menor do que a europeia, em 2011 e 2012. Na sua avaliação, ao contrário daquela época, quando os países estavam entrando em recessão, agora a economia mundial está saindo da recessão.

O ministro afirmou que a situação do Brasil é ainda mais favorável do que a de outros países, onde está havendo saída de capitais e as reservas estão diminuindo. Na soma dos emergentes, disse Mantega, já foram gastos US$ 150 bilhões em reservas.

Já o Brasil “não perdeu nenhum tostão” das reservas internacionais. “Aqui, não falta dólar, no mercado à vista sobram dólares. Onde sobe é no mercado futuro, onde os fundos ficam comprados [apostam na alta do dólar].”

Mantega afirmou que o patamar do câmbio dependerá da atuação do banco central norte-americano (Federal Reserve). “Quando começarem a retirar os estímulos e eles estiverem quantificados, o mercado se acalma”, disse.

 

Reajuste da gasolina

O ministro negou ainda que haja previsão de reajuste dos combustíveis. Segundo notícias publicadas por jornais na última semana, o governo e Petrobras estariam negociando um aumento de preços do diesel e da gasolina. “Não há decisão nenhuma a esse respeito, portanto, não há aumento previsto”, disse.

Mantega acrescentou que o governo não permitirá que haja grandes repasses de preços ou contágio da alta do dólar na inflação.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo