Banco Central injeta US$ 100 bi para conter elevação do dólar

Por Tercio Braga

Para segurar a alta do dólar, o Banco Central deve ofertar pelo menos US$ 54,5 bilhões no mercado até o final do ano. Com os US$ 45 bilhões que já foram injetados até quinta, a conta para conter valorização da moeda será de no mínimo US$ 100 bilhões.

A partir desta sexta-feira, serão feitos leilões diariamente até pelo menos o fim deste ano. Serão feitos leilões de swap, instrumento de proteção contra variação cambial, todas as segundas, terças, quartas e quintas-feiras. Nessas operações, serão ofertados contratos que somam US$ 500 milhões por dia.

Às sextas-feiras, será oferecida ao mercado, por meio de leilão de venda com compromisso de recompra, linha de crédito de US$ 1 bilhão. O primeiro leilão será feito nesta sexta-feira.

Se julgar apropriado, o Banco Central fará ainda operações adicionais. Segundo  comunicado divulgado nesta quinta pela autarquia, o objetivo é prover “hedge”, ou seja, proteção da alta do dólar aos agentes econômicos e liquidez ao mercado de câmbio.

O dólar fechou na quinta em queda, após um dia de instabilidade, com a redução das expectativas de que medidas cambiais fossem anunciadas pelo governo e mais intervenções do Banco Central. A moeda norte-americana caiu 0,78%, a R$ 2,432.

Na quarta, a moeda subiu 2,39%, para R$ 2,4512, maior cotação desde 9 de dezembro de 2008 (R$ 2,473).

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo