Inflação no setor de serviços pesa mais no bolso do consumidor

Por fabiosaraiva

A inflação geral desacelerou no mês passado, mas alguns itens continuam pesando no bolso dos brasileiros. Cortar o cabelo, comer fora de casa e estacionar o carro, por exemplo, são atividades que seguem caras para os consumidores.

O impacto foi medido pelo IBGE. Enquanto os preços tiveram uma alta geral de 6,27% nos últimos 12 meses, o setor de serviços registrou aumento de 8,48%. A boa notícia é que a tendência é de estabilização e, até mesmo, de leve queda até o fim do ano.

“A desaceleração da inflação em julho foi provocada por dois itens que não estão no setor de serviços: o transporte público e o preço dos alimentos nos mercados”, explica Fernando Parmagnani, economista da Rosenberg & Associados.

Segundo cálculo da consultoria, cerca de 15% da inflação de serviços está relacionada ao aumento dos gastos com empregados domésticos, que ganharam direitos no primeiro semestre deste ano. Outro fator de grande contribuição (30%) é a alimentação fora do domicílio.

“Isso pode ser explicado pela formalização da força de trabalho. Mais gente com carteira assinada, mais gente com vale refeição, mais gente com dinheiro para gastar. Aí o preço sobre”, resume Parmagnani.

 

Tendência é de estabilização

Ainda assim, os economistas acreditam que a alta dos serviços ficará menor até o fim do ano. A Austin Rating prevê que a inflação do setor fechará 2013 ao redor de 8%.

A ligeira queda será resultado da desaceleração do mercado de trabalho, que já começou a ser percebida. No mês passado, a taxa de desemprego subiu a 6%, o maior nível em 14 meses.

A inflação geral também deve se manter estável. “O índice vai continuar pressionado, mas o efeito de alívio virá dos chamados preços administrados”, diz Wellington Ramos, analista da Austin Rating.

As tarifas de energia elétrica e de transporte público entram nessa classificação. “A inflação virou um assunto eleitoral, e o governo vai intervir no que puder para não prejudicar ainda mais sua popularidade”, aposta Ramos.

20130812_SP06_Cada-vez-mais-caros

Loading...
Revisa el siguiente artículo