Cesta básica fica até 8,86% mais barata e inflação fecha em 0,03%

Tomate, que chegou a custar R$ 10/kg, sai por R$ 1,99 agora  | André Porto/Metro Tomate, que chegou a custar R$ 10/kg, sai por R$ 1,99 agora | André Porto/Metro

Com recuo nos preços do tomate e óleo de soja, a cesta básica ficou mais barata em julho nas 18 capitais pesquisadas pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). Foi a primeira queda de preços em todas as capitais desde maio de 2007, quando o levantamento abrangia 16 locais. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial registrou nesta terça taxa de 0,03% para julho deste ano. Em junho, a taxa havia sido de 0,26%.

A maior queda de preços da cesta básica foi registrada em Brasília (-8,86%), seguida pelos recuos em Florianópolis (-7,61%) e Porto Alegre (-7,06%). São Paulo, que continua com a cesta mais cara do país (R$ 327,44), apresentou recuo de 3,82%.

Com a melhora das condições climáticas, o tomate, vilão da inflação em abril, ficou mais barato nas 18 capitais pesquisadas e puxou a queda nas cestas. Brasília registrou o recuo mais expressivo, de 56,81%. A queda superou 40% em outras quatro cidades: Rio, Belo Horizonte, Porto Alegre e Goiânia.

Em São Paulo, onde o quilo tomate chegou a custar R$ 10 em abril, houve recuo de 26,68% no preço. Ontem, o produto era encontrado por R$ 1,99 o quilo em um hortifruti. E na rede Extra, por exemplo, vai entrar em oferta hoje, por R$ 0,98, o quilo nas lojas do Estado de São Paulo.

Outro item que contribuiu para a queda no preço das cestas foi óleo de soja, cujo preço baixou em 15 cidades. Somente o leite registrou alta em todas as capitais.

No acumulado de janeiro a julho, no entanto, somente em Florianópolis a cesta ficou mais barata, com queda de 2,08%. Nas outras 17 capitais houve alta, com os maiores aumentos verificados no Nordeste, região que atravessa período de forte seca.  

Loading...
Revisa el siguiente artículo