Desonerações feitas pelo governo custaram R$ 35 bilhões à União

Por fabiosaraiva
Eloi de Carvalho: corte de impostos reduz arrecadação | Marcello Casal Jr/ABr Eloi de Carvalho: corte de impostos
reduz arrecadação | Marcello Casal Jr/ABr

Com o crescimento tímido do PIB e as desonerações feitas pelo governo, a arrecadação de impostos ficou praticamente estável no primeiro semestre. Segundo a Receita Federal, a arrecadação acumulada até junho ficou em R$ 543,985 bilhões, um aumento real de apenas 0,49% sobre a primeira metade de 2012. O valor é recorde para o período.

A perda de arrecadação devido a cortes de impostos somou R$ 35,1 bilhões no primeiro semestre. Entre as desonerações estão as reduções de tributos sobre crédito, veículos, eletrodomésticos e folha de salários, além da Cide sobre combustíveis.

Após dar sinais de recuperação em maio, a arrecadação federal voltou a cair no mês passado. O recuo foi de 0,99%, para R$ 85,683 bilhões em junho.

Segundo o coordenador de Previsão e Análise da Receita Federal, Raimundo Eloi de Carvalho, houve queda de R$ 2,3 bilhões, em junho, no recolhimento de aplicações financeiras.

“Isso aconteceu por conta da redução dos rendimentos em função da queda dos juros. [A redução] tem um peso significativo. As desonerações também foram um fator preponderante”, disse o coordenador do Fisco.

Loading...
Revisa el siguiente artículo