Com Amor, Simon retoma gênero de filmes em torno do ambiente colegial

Por Metro Jornal

Febre nos anos 1990, as dramédias de “high school” americanas sumiram dos cinemas para dar lugar aos filmes de herói e às distopias baseadas em best-sellers juvenis. “Com Amor, Simon”, que estreia nesta quinta-feira (5) também é inspirado em um romance – escrito por Becky Albertalli –, mas retoma a fórmula clássica de ambientar suas inquietações adolescentes entre as quatro paredes do colégio.

O que atualiza esse modelo para os dias de hoje é o fato de o protagonista da história ser gay, mesmo que ninguém além dele saiba disso.

Leia mais:
Ryan Reynolds vai sortear um uniforme rosa do Deadpool
Os Fantasmas se Divertem: final verdadeiro é muito mais sombrio e foi revelado só agora

Simon (Nick Robinson) é um garoto de 17 anos que esconde sua sexualidade de todos, inclusive dos melhores amigos, vividos por Katherine Langford, Alexandra Shipp e Jorge Lendeborg Jr., e dos pais extremamente liberais, interpretados por Jennifer Garner e Josh Duhamel.

Isso muda quando ele lê num blog do colégio uma postagem anônima sobre algum colega na mesma situação.

Ele passa a se corresponder com o rapaz e começa a se envolver emocionalmente mesmo sem saber quem está do outro lado do computador.

A partir daí ele tenta descobrir quem seria o jovem ao mesmo tempo em que tem seu segredo descoberto por um colega que irá chantageá-lo para conquistar uma das melhores amigas de Simon.

Conhecido como produtor de séries de heróis como “Arrow” e “The Flash”, Greg Berlanti conduz a trama com humor e leveza, problematizando as questões levantadas por Simon em torno de sua própria sexualidade, mas sem esquecer de apresentar o drama do rapaz como uma história universal.

Veja o trailer do filme:

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo