Exposição gratuita festeja trajetória de vida do cantor e compositor Tom Zé

Por Metro Jornal

O cantor e compositor baiano Tom Zé completou 81 anos em outubro do ano passado, mas as comemorações por suas oito décadas de vida não param. A partir desta terça-feira (13), a Caixa Cultural celebra o artista com a reunião, no mesmo espaço, de um conjunto de obras gráficas, digitais e interativas em torno de sua trajetória.

A ideia é fazer um retrato completo da vida de Tom Zé, mostrando como era sua vida no interior da Bahia e o começo de sua carreira, até o desenvolvimento do movimento que viria a ser conhecido como Tropicália e seu reconhecimento nacional e internacional.

Leia mais:
Borges: Porta dos Fundos se inspira em Seinfeld para nova série no Comedy Central
Gisele Bündchen prepara um livro de memórias

Tudo isso pode ser conferido por meio de fotos de acervo, vídeos extraídos de documentários e textos – tudo com acessibilidade.

Destaca-se na exposição a coleção de mais de 10 instrumentos inventados pelo próprio artista e utilizados por ele em shows e gravações.

Com curadoria de André Vallias, a mostra se completa com o projeto “Errática Tom Zé”, que inclui roda de leituras e performances musicais que acontecem também na Caixa Cultural, entre os dias 16 e 18, sempre às 19h15, com entrada gratuita.

O próprio homenageado participa do evento na sexta-feira, ao lado de Leonora de Barros e Zé Miguel Wisnik. No sábado, o evento é conduzido por Lica Cecato, Cid Campos e Inayara Iná. O encerramento, no domingo, fica por conta de Caco Pontes, Iara Rennó e Daniel Minchoni.

A exposição “Tom Zé – 80 Anos” coincide com o relançamento, em vinil, de “Se o Caso É Chorar” (1972), terceiro álbum do cantor, que o consolidou de vez na cena musical brasileira.

Serviço:
Na Caixa Cultural (pça. da Sé, 111, Centro, tel.: 3321-4400). Abre nesta terça-feira. De ter. a dom., das 9h às 19h. Grátis. Até 20/5.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo