Aos 89 anos, diretora francesa Agnès Varda concorre a 2º Oscar com Visages, Villages

Por Reuters

Poucos meses antes de seu aniversário de 90 anos, a diretora francesa Agnès Varda está concorrendo ao seu segundo Oscar em um ano, graças a uma improvável parceria com o artista de rua JR em um documentário que retrata o dia a dia de uma pequena cidade da França.

Varda –figura de destaque do movimento cinematográfico francês “Nouvelle Vague” das décadas de 1950 e 1960 e contemporânea de François Truffaut e Jean-Luc Godard– ganhou, em novembro, um Oscar honorário por sua carreira, que inclui títulos como “Cléo das 5 às 7” e “Os Catadores e Eu”.

Leia mais:
Oscar 2018: indicados enfrentam críticas negativas antes da premiação
Indicado ao Oscar de melhor ator coadjuvante, Willem Dafoe fala sobre Projeto Flórida

Com “Visages, Villages”, a diretora foi indicada, junto com o artista de rua de 35 anos JR, à categoria de melhor documentário em longa-metragem. Se o filme levar o prêmio, Agnès Varda será a pessoa mais velha a ganhar um Oscar em uma categoria competitiva.

No documentário, a dupla dirigiu por cantos pouco conhecidos da França em um caminhão disfarçado de uma cabine fotográfica gigante, fotografando moradores e colando os resultados em grande escala em superfícies que vão de paredes a contêiners.

O carteiro, as esposas de trabalhadores portuários, um fazendeiro solitário: as estrelas do filme são todas pessoas sem poder, disse Varda à Reuters em seu jardim em Paris.

“Andy Warhol disse que todo mundo deveria ter um momento de fama… Nós estamos dizendo às pessoas que elas são importantes: elas são importantes para nós, elas são importantes no filme, elas são importantes para você que está assistindo”, disse.

Veja o trailer de "Visages, Villages":

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo