Milton Hatoum aposta em trilogia para narrar formação de jovem abalado pela separação dos pais

Por Bruno Bucis/Metro Brasília

Nove anos após a publicação de “Órfãos do Eldorado”, o amazonense Milton Hatoum retorna aos romances na trilogia “A Noite da Espera”, que acompanha o crescimento do jovem Martim em Brasília após a separação dos pais e em meio ao despontar da ditadura militar no país.

O primeiro volume, “O Lugar Mais Sombrio”, já está nas livrarias.

Leia mais:
Mascotes da Turma da Mônica ganham animação na web
Alice Caymmi explora batidas do pop em seu terceiro disco de estúdio

Em entrevista ao Metro Jornal, o autor do best-seller “Dois Irmãos” fala sobre a obra.

O processo de feitura desse livro tomou alguns anos….
Sim! O projeto inicial do livro data do início dos anos 1980. Mas é assim, todos os livros passam por um período de incubação. Eu comecei a escrever em 2008 e o projeto era de um livro diferente, mas que foi crescendo e chegou a esse formato atual. É agora um romance de formação intelectual, moral. Brasília fez parte da minha formação e forma os personagens. Brasília é a protagonista.

O senhor viveu em Brasília no período em que a cidade é retratada no seu livro. Há um tom autobiográfico do senhor em Martim?
Não. O Martim é um pobre diabo, um submisso em relação ao pai e à brutalidade dele. O personagem não tem nada de autobiográfico. Eu, na verdade, me identifico mais com o Nortista e com a Ângela no meu livro. Mas o Martim não podia ser um militante, seria muito óbvio. Ele é uma figura solitária, que tenta sobreviver no mundo.

O livro fala do surgimento da ditadura e esse tema tem voltado ao debate hoje. O senhor vê um paralelo da obra com a atualidade?
Quando eu escrevi este livro, o Brasil era outro. A ficção, porém, é visionária, muitas vezes à revelia do autor. O Brasil é autoritário em suas bases e há uma parte da população que apoia isso, inclusive os militares voltaram a falar de ditadura, mas eu acredito que eles são uma minoria. Essa onda, porém, tem que ser encarada com muita preocupação.

Há perspectiva para o lançamento do próximo volume?
Eu nunca tive muita pressa, e meus leitores são pacientes. Já está tudo escrito, só falta reescrever (risos). Os próximos lançamentos serão em breve, porém. O segundo sai ainda em 2018 e o terceiro em 2019.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo