Estudo revela que as mulheres fizeram a maioria do trabalho braçal e não tinham nada de sexo frágil: veja

Por Metro Internacional
Reprodução / History
Estudo revela que as mulheres fizeram a maioria do trabalho braçal e não tinham nada de sexo frágil: veja

A ciência revelou novas evidências que as mulheres antigas eram fortes e se dedicavam ao trabalho pesado mais do que imaginávamos.

Um novo estudo mostra que as mulheres pré-históricas tiveram que lidar com uma quantidade desproporcional de trabalho braçal, o que contrasta – e muito – com a forma de que retratam em geral as mulheres: recatadas, fracas ou que trocavam o trabalho duro por tarefas domésticas simples.

"As pessoas geralmente não se concentraram nas mulheres nesta sociedade, [mas] é muito importante entender as divisões de trabalho que existem hoje", disse Hila May, uma antropóloga evolutiva da Universidade de Tel Aviv, que participou no estudo publicado na revista ScienceMag. "Eu queria poder voltar e perguntar às pessoas como elas viveram, mas tudo o que temos é um osso", completou.

O estudo examinou alguns esqueletos da Europa antiga durante diferentes períodos. Isso permite que os antropólogos digam exatamente que tipo de deformação esses ossos sofreram.

Ao estudar suas características, é possível descobrir não só se uma pessoa foi forte, mas também como viveu, que tipo de atividades realizou, etc. Para os humanos, um esqueleto pode ser um armazenamento de informações.

Alison Macintosh, uma antropóloga da Universidade de Cambridge, resolveu revelar se as mulheres eram realmente o sexo frágil sempre retratado.

Para testar sua hipótese, ela e sua equipe de pesquisa examinaram dezenas de amostras e depois as compararam com radiografias de corredores contemporâneos experientes e outros atletas de elite e obtiveram resultados surpreendentes.

Foi descoberto que as mulheres pré-históricas tinham até 10% mais de força no braço do que as mulheres atletas profissionais de hoje. O estudo mostrou que as mulheres fizeram uma grande parte do trabalho manual pesado relacionado à agricultura, incluindo a escavação e o transporte de equipamentos.

Os homens, por outro lado, provavelmente dividirão o tempo entre a agricultura e a corrida, o que significa que eles tinham menos força no corpo no passado – o oposto do que tendemos a ver nas populações modernas.

"Esses resultados sugerem que, em contraste com os homens, o trabalho braçal rigoroso era um componente mais importante do comportamento das mulheres pré-históricas", diz o estudo.

Loading...
Revisa el siguiente artículo