Exposição no Masp revela sexualidade nas obras do artista pernambucano Tunga

Por Metro Jornal

O artista plástico Tunga ganha a primeira grande individual desde a sua morte, em meados do ano passado, aos 64 anos, com a abertura para convidados da exposição “Tunga: o Corpo em Obras”, nesta quinta-feira (14), às 20h, no Masp.

Para ela, foram reunidas cerca de cem obras do pernambucano, em torno de temas da sexualidade e do erotismo, representativas de diferentes períodos de sua carreira desde os anos 1970.

Leia mais:
Cantora cearense Amelinha homenageia o amigo Belchior em show nesta quinta
Equilíbrio entre bem e mal fica ainda mais conturbado em Star Wars: Os Últimos Jedi

Em seus trabalhos, criados a partir de materiais como bronze, latão, madeira, papel, borracha e maquiagem, Tunga revela uma visão de sexualidade como forma de estabelecer vínculos e transformações entre corpos, seres, matérias e linguagens.

Organizada de forma não cronológica pelo segundo subsolo do museu, a mostra apresenta desde trabalhos emblemáticos da carreira do artista, como “Vê-nus” (1976) e a série “Eixos Exógenos” (1986-2000), a desenhos nunca antes expostos.

Com isso, a individual faz um diálogo com a exposição “Histórias da Sexualidade”, atualmente em cartaz no espaço, ao mesmo tempo em que presta uma homenagem à consistência da produção de Tunga.

Serviço:
No Masp (av. Paulista, 1.578, Cerqueira César, tel.: 3141-5959). De terça a domingo, das 10h às 18h. Quinta, das 10h às 20h. R$ 30 (grátis às terças). Até 11/3/2018.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo