Ciclo no Centro Cultural São Paulo reflete sobre trajetória de Guimarães Rosa

Por Metro Jornal São Paulo
Rui Ricardo Diaz faz versão pocket do monólogo A Hora e a Vez - Divulgação
Ciclo no Centro Cultural São Paulo reflete sobre trajetória de Guimarães Rosa

Depois de discutir a amizade entre Mário e Oswald de Andrade, o Centro Cultural São Paulo (r. Vergueiro, 1.000, tel.: 3397-4002, Liberdade) se dedica agora a refletir sobre outro grande nome da literatura brasileira.

O ciclo “O Nome do Rosa”, que abre nesta terça-feira (7), às 20h, com uma palestra da professora da USP Yudith Rosenbaum, se dedica a debater o legado poético de João Guimarães Rosa, que tem seu 50º aniversário de morte lembrado em 2017.

Com entrada gratuita, o ciclo prossegue na quarta-feira com a exibição de filmes inspirados na obra do autor mineiro. Terão sessões “Mutum” (2007), de Sandra Kogut (às 16h); “Aboio” (2003), de Marília Rocha (às 18h) e “A Hora e a Vez de Augusto Matraga” (1965), de Roberto Santos (às 19h30).

Também na quarta-feira, às 19h30, acontece uma sessão teatral dupla, com uma versão pocket de “A Hora e a Vez”, monólogo estrelado por Rui Ricardo Diaz, e “Rosa”, experimento cênico da BoadaPeste Cia de Teatro.

Na quinta, às 19h30, o CCSP sedia uma mesa sobre os desafios da tradução de Guimarães Rosa para outras línguas. A programação fecha no dia 18, às 10h30, com uma palestra de Yudith Rosenbaum sobre “Sagarana”, que integra a lista de livros do vestibular da Fuvest. 

Loading...
Revisa el siguiente artículo