Arquivo Nacional, no Rio de janeiro, corre o risco de fechar neste mês após redução de verbas federais

Reprodução/Band
Arquivo Nacional, no Rio de janeiro, corre o risco de fechar neste mês após redução de verbas federais
Por: Estadão Conteúdo

O Arquivo Nacional, localizado no Centro do Rio de Janeiro, pode fechar as portas no mês de agosto por falta de recursos financeiros. De acordo com a instituição, o repasse de verbas feito pelo Ministério da Justiça para este ano foi reduzido em 36%, passando de R$ 22 milhões em 2016 para os atuais R$ 14 milhões.

Falta dinheiro para tudo: pagamento das contas de água, luz, gás e serviços de segurança e limpeza. A maior preocupação da equipe é com a manutenção do acervo, que guarda documentos como imagens da Família Imperial, o julgamento de Tiradentes, cartas do período colonial, arquivos da ditadura militar e papéis que comprovam a entrada e permanência de milhões de imigrantes no Brasil. No total, são 55 quilômetros de documentos e 1,8 milhão de fotografias.

Leia mais:
Autora de Harry Potter, J.K. Rowling pede desculpas por tuítes sobre Trump
Após virar meme internacional, Cuca aparece no Mais Você ao lado de Ana Maria Braga

“Os recursos atuais nos permitem que honremos os nossos compromissos até o mês de agosto. A Direção-Geral do Arquivo Nacional está empenhada em evitar que os serviços sejam suspensos”, afirmou o diretor-geral substituto da instituição, Diego Barbosa da Silva.

Uma reunião nesta semana poderá definir o futuro do acervo. Segundo Silva, está agendada uma reunião com membros do Ministério da Justiça e Segurança Pública para discutir a liberação de mais recursos e outros temas emergenciais, sem revelar mais detalhes.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública afirma que irá analisar caso a caso os pedidos de reforço orçamentário que se destinarem à manutenção dos serviços prestados por seus órgãos vinculados, como o Arquivo Nacional. No mês passado, a Polícia Federal passou por situação semelhante e suspendeu a confecção de novos passaportes por falta de dinheiro. O serviço foi retomado apenas no início desta semana, após 175 mil solicitações pendentes.

Cortes
Neste ano, após a determinação do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão de reduzir o orçamento do Arquivo Nacional, 25% dos funcionários terceirizados da instituição foram demitidos.

“Algumas decisões foram tomadas. Estamos reduzindo o consumo de luz elétrica por meio de diversas ações como desligar metade dos elevadores e o ar condicionado das áreas de trabalho. Assim, conseguimos garantir a climatização dos depósitos e preservamos a documentação”, explica Silva.

Atendimento
A possibilidade do fechamento ocorre justamente quando o interesse do público pelo acervo disponível cresceu. Entre 2016 e 2017, a procura por documentos do Arquivo Nacional aumentou 50%, de acordo com dados do próprio órgão. “Até este mês de julho atingimos 40 mil acessos, mesma quantia vista em todo o ano passado”, diz Silva. Ele também conta que as visitas aos sites e bases de dados na internet avançaram de 2,8 milhões em 2016 para 3,2 milhões até junho.

“Esse aumento deve-se, sobretudo, a procura de documentos que comprovam ascendência estrangeira para aquisição de dupla cidadania”, diz o diretor-geral substituto do Arquivo Nacional.

Loading...
Revisa el siguiente artículo