Obra de Ignácio Loyola Brandão inspira mostra na Biblioteca Mário de Andrade

Por Nadia
Livro de Ignácio foi lançado em 1974 | Kiko Ferrite/divulgação Livro de Ignácio foi lançado em 1974
| Kiko Ferrite/Divulgação

No período que trabalhou no jornal “Última Hora”, durante o regime militar, o escritor Ignácio de Loyola Brandão guardou todas as suas matérias censuradas na época. Esse farto material serviu como recorte para o romance “Zero”, publicado originalmente na Itália, em 1974, depois de ter sido recusado por 13 editoras brasileiras na época. Por aqui, a obra só foi liberada em 1979.

Para celebrar os 40 anos de sua primeira edição, o livro é ponto de partida para a mostra “Zero: 40 anos – A Aventura Libertária de Ignácio de Loyola Brandão”, que abre nesta segunda-feira na Biblioteca Mário de Andrade, com 28 painéis e material audiovisual, em uma viagem no tempo sobre a história do autor e sua obra literária. 

Serviço:

Na Biblioteca Mário de Andrade (r. da Consolação, 94, Consolação; tel. 3256-5270). Abre hoje. De seg. a sex., das 10h às 18h. Sáb., das 10h às 17h. Grátis. Até 1º/11.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo