Selo relança discos raros de Jackson do Pandeiro

Por Carolina Santos
Jackson do Pandeiro em foto de 1981 | Folhapress Jackson do Pandeiro em foto de 1981 | Folhapress

Mantendo sua tradição de garimpar discos raros da música nacional, o selo Discobertas lança mais um petardo. Dessa vez é a caixa “Jackson do Pandeiro – Anos 60 (1966 – 1969)”, com três discos que estavam perdidos na história, além de um álbum com faixas desconhecidas do cantor paraibano.

Os trabalhos mostram uma fase chamada semi-independente na carreira, quando gravou para pequenos selos de São Paulo, e que começa em 1966, com “O Cabra da Peste”. Lançado na época pela Copacabana Discos, o material já começa com o sucesso “Capoeira Mata Um”, e traz ainda o xote “A Ordem é Samba” e “Papai Vai de Trem”. “Bodocongó” não ganhou fama naquela época, mas em 1979 ela foi reconhecida após ser gravada por Elba Ramalho em seu álbum de estreia, “Ave de Prata”.

“A Braza do Norte” é do ano seguinte, com os hits “Ralabucho”, “Saudade de Um Amigo e “Lá Vai a Boiada”. Em “É Sucesso”, de 1969”, o destaque fica para “O Pai de Gabriela” e “Esquindô LeLê”. Ambos os discos lançados pelo selo Cantagalo.

Por fim, o quarto disco, “Mais Um Pouquinho”, foi montado a partir de lados B de Jackson, extraídas de coletâneas e outros trabalhos, contando com sambas, marchinhas e frevos.

A caixa chega toda remasterizada, com reprodução da arte original dos LPs da época, com a cantora Almira Castilho em duas delas.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo