23ª Bienal do Livro se alia ao Sesc e turbina programação

Por lyafichmann
20140822_SP28-Bienal---ANFITEATRO---hermeto-pascoal---Aline-Morena Hermeto Pascoal | Divulgação

Teatro, dança, música e cinema foram abraçados pela 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que abre nesta sexta-feira e segue até o dia 31 no Anhembi.

Numa parceria com o Sesc, o evento sediará mais de 400 atrações de diferentes linguagens e espera receber 700 mil pessoas. Mas nada de samba do crioulo doido! Com orçamento de R$ 34 milhões, a curadoria estabeleceu pontes entre os espetáculos selecionados e a palavra.

Assim, os diversos espaços no local trarão atividades que se cruzam ou são inspirados na literatura, ampliando as formas de abordagem do tema. A entrada na Bienal dá direito a participar de todas elas gratuitamente.

“Essa feira deixou de ser um momento apenas de venda de livro”, afirma Karine Pansa, presidente da Câmara Brasileira do Livro (CBL). “O que mudou foi mostrar que o livro pode ir muito além da leitura e do encontro com o autor. Existe outro momento cultural em que o livro permeia. É a possibilidade de conectar vários programas em um só”, completa.

Para ajudá-lo a se organizar no meio de tanta oferta, o Metro Jornal separou as atrações mais interessantes do primeiro fim de semana. Aproveite!

Arena Cultural
Com estrutura de show de rock, o local está preparado para receber fãs exaltados das mais populares séries literárias. Eles estarão de plantão para ouvir no sábado os americanos Harlan Coben, autor de policiais como “Não Conte a Ninguém”, às 10h30, e Kiera Cass (“A Seleção”), às 18h. A também americana Cassandra Clare (“Os Instrumentos Mortais”) fala sábado e domingo, às 14h.

Espaço Imaginário 
Lugar dedicado a atividade para jovens e crianças, com 650 m2, agrega bate-papo com quadrinistas e ilustradores, que farão seu trabalho às vistas do público. Não perca a participação de Fabio Yabu (de “Combo Rangers” e “Princesas do Mar”), sábado às 13h.

Salão de Ideias
O espaço voltado para discussões vem recheado de bons nomes e assuntos. Quem fala sábado, às 14h, é o americano Jeff Lindsay, autor da série de livros que inspirou a série de TV “Dexter”. Autor de sucesso recente, o jovem Raphael Montes conversa sobre o gênero policial com Joca Reiners Terron no domingo, às 14h. Em seguida, às 16h, Carlos Heitor Cony, Heloisa Seixas e Ruy Castro refletem sobre os limites entre a ficção e a memória.

Cozinhando com Palavras
Sucesso de edições anteriores da Bienal, o espaço está de volta reunindo chefs em torno de uma cozinha. Boni e Ricardo Amaral farão sábado uma aula-show, às 19h30, sobre os melhores restaurantes do mundo. No domingo, o curador André Boccato e Francisco Lellis falam às 14h, sobre os pratos que recheavam os banquetes de D. Pedro 2º. Popular por seu programa no GNT, Rita Lobo também estará presente no espaço às 17h do domingo.

Anfiteatro
É a sede de shows, filmes, atrações circenses e espetáculos de teatro e dança. Nomes como Hermeto Pascoal toparam encarnar arquétipos da literatura universal em shows preparados especificamente para o espaço. O músico, no caso, torna-se o bruxo e se apresenta sábado, às 20h. Já Zeca Baleiro ocupa o mesmo espaço, às 17h, para mostrar o impacto da literatura na sua música. Domingo, também às 17h, será possível assistir à peça “O Natal de Harry”, com Marat Descartes, baseado em texto do inglês Steven Berkoff.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo