São Paulo Companhia de Dança lança novo espetáculo no Teatro Alfa

Por lyafichmann
dança-ballet Yoshi Suzuki e Luiza Yuki dançam clássico de 1911 | Clarissa Lambert/Divulgação

A diversidade que se tornou marca da São Paulo Companhia de Dança se faz presente no programa que ela estreia nesta quinta-feira no Teatro Alfa. Ao lado da já conhecida “Petit Mort” (1991), de Jiří Kylián, o grupo introduz duas novas peças famosas ao público paulistano.

“L’Espectre de la Rose”, criada em 1911 por Michel Fokine (1880-1942) a partir da música de Von Webber (1786-1826), consagrou Vaslav Nijinski (1890-1950) ao explorar pontos fortes do bailarino, como saltos, sem desmerecer a força da dramaturgia. Baseada em um poema de Théophile Gautier (1811-1872), a peça mostra o sonho de uma jovem com o “espírito da rosa” recebida de um rapaz em seu primeiro baile. O bailarino, no caso, encarna a flor.

“Não é um personagem sexual, por isso é muito difícil de dançar”, afirma o remontador argentino Mario Galizzi, responsável pela adaptação de “La Sylphide” que a companhia estreou em junho.

“Fokine quebrou um pouco com as linhas clássicas do balé. Os movimentos têm fluidez e caimento, mas é preciso limar um pouco os maneirismos da época”, afirma ele.

O cenário também recebeu releitura de Fabio Namatme, assim como o  figurino do bailarino. Segundo a diretora artística Inês Bogéa, o resultado foi uma malha que lembra a tatuagem de uma rosa.

O clássico é quebrado por “workwithinwork” (1998), de William Forsythe, com música de Luciano Berio (1925-2003). A distensão dos limites do balé vista em “In The Middle, Somewhat Elevated” (1987) – primeira peça do coreógrafo a integrar o repertório do grupo – dá espaço à desconstrução dessa técnica. “Agora ele usa pontos de apoio no clássico, mas com muito da linguagem dele com o Ballet de Frankfurt, como explosões de partes do corpo e improvisações”, diz Bogéa.

A trilha das estreias será executada ao vivo: a primeira, ao piano, por Cristian Budu; a segunda, pelos violinos de Simona Cavuoto e Anca Gavris.

Serviço: No Teatro Alfa (r. Bento Branco de Andrade Filho, 722, Santo Amaro, tel.: 5693-4000). Nesta quinta, às 21h, sex., às 21h30, sáb., às 20h, e dom., às 18h. De R$ 50 a R$ 80.

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo