Soldados da 2ª Guerra conquistam o Festival de Gramado

Por Carolina Santos
"A Estrada 47" venceu a principal competição da 42ª edição do festival gaúcho | Reprodução “A Estrada 47” venceu a principal competição da 42ª edição do festival gaúcho | Reprodução

Tudo poderia acontecer na final do 42º Festival de Gramado. Depois de uma semana de filmes diversificados e pelo menos quatro títulos convincentes na competição brasileira, o júri resolveu dividir fraternalmente os Kikitos na cerimônia de premiação realizada na noite do último sábado.

Seguramente a produção mais complexa vista no evento, “A Estrada 47”, sobre os soldados brasileiros que lutaram na Segunda Guerra Mundial, levou o Kikito de melhor filme e apenas um outro prêmio técnico, o de desenho de som.

A exemplo do que ocorreu no ano passado, o prêmio de melhor roteiro foi para Domingos Oliveira e seu nada empolgante “Infância”. Marcelo Galvão foi escolhido o melhor diretor e seu tocante “A Despedida” acabou faturando o maior número de prêmios da noite – quatro no total –, incluindo ator e atriz.

A atuação inspirada de Nelson Xavier era um dos poucos Kikitos certos do festival, enquanto a performance de Juliana Paes desbancou Fernanda Montenegro, que acabou com um prêmio especial do júri.

Nesta divisão de Kikitos, a bela revisita ao cangaço de Alceu Valença ganhou menos do que o esperado. Mas o júri pelo menos fez justiça e entregou a “A Luneta do Tempo” os prêmios de direção de arte e trilha sonora. Único representante gaúcho da mostra, “Os Senhores da Guerra” levou um prêmio especial do júri e o título de melhor atriz coadjuvante para Andrea Buzato.

Enquanto a mostra brasileira premiou praticamente todos os filmes (apenas o documentário “Esse viver Ninguém Me Tira” saiu sem nada), os jurados da competição de longas latinos optaram por se dividir entre dois títulos: o chileno “Las Analfabetas” – competente adaptação de uma peça teatral de mesmo nome – e o arrastado longa uruguaio  “El Lugar del Hijo”.

Este foi escolhido melhor filme e ainda ganhou dois prêmios inexplicáveis: roteiro e ator para Felipe Dieste, em seu primeiro papel no cinema. Ainda bem que o júri da crítica lembrou do longa argentino “El Crítico”, o filme mais bem resolvido da competição.

Num ano de curtas-metragens de perfil mais experimental, a competição não chegou a empolgar o público. O vencedor foi “Se Esta Lua Fosse Minha”, primeira produção de um grupo ligado à universidade gaúcha Unisinos e que mostra os sonhos de moradores de rua de Porto Alegre.

Outro filme gaúcho, a animação “A Pequena Vendedora de Fósforos”, de Kyoko Yamashita, ganhou o prêmio do público.

Captura de Tela 2014-08-17 às 18.19.23

Confira o trailer de “A Estrada 47”:

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo