Graphic Novel do "Bidu" será lançada na Bienal do Livro

Por Carolina Santos
Álbum será lançado na Bienal Internacional do Livro de São Paulo | Divulgação Álbum será lançado na Bienal Internacional do Livro de São Paulo | Divulgação

Quem conhece a Turma da Mônica sabe o quanto o cãozinho Bidu e seu dono, Franjinha, são inseparáveis. O que talvez a maioria das pessoas não saiba é como os dois se conheceram.

“Caminhos”, dos mineiros Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho, imagina como essa história teria acontecido. O volume faz parte do projeto Graphic MSP, que convida artistas a assinarem com seus próprios traços histórias com personagens criados por Mauricio de Sousa.

“Uma das maiores dificuldades foi lidar com o fato de o Bidu já existir. Facilitou quando desapegamos da ideia de fazer algo completamente novo”, diz Garrocho. Assim, ele e Damasceno estudaram o cãozinho azul para desenvolver a história, repleta de participações de outros cachorros queridos dos gibis infantis.

“Cresci lendo Turma da Mônica, mas depois parei. Quando surgiu o projeto, corremos atrás das primeiras tiras do Bidu. Acho que boa parte da inspiração veio dali. Era um humor muito ingênuo, de trocadilho. Fiquei encantando com o personagem de novo”, explica Damasceno.

A pedido do editor Sidney Gusman, a dupla colocou os cachorros para conversarem entre si, mas de um jeito especial, com “falas” todas desenhadas.

“A gente queria diferenciá-los do mundo dos humanos. Vimos então que ele faz isso em várias histórias antigas. A representação visual sempre foi muito forte”, diz Garrocho.

“Bidu-Caminhos” - Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho - Ed. Panini; 80 págs., R$ 20 (capa simples) R$ 30 (capa dura) “Bidu-Caminhos” – Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho – Ed. Panini; 80 págs., R$ 20 (capa simples)
R$ 30 (capa dura)

Outro detalhe que chama a atenção é o uso intenso de onomatopeias, uma influência extraída pelo autores dos mangás japoneses. “Pensamos que encaixar isso seria ótimo, pois o som é muito importante para os cachorros e queríamos mostrar isso visualmente”, afirma Damasceno, que autografa a publicação com o colega, no próximo dia 30, na Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

O resultado é uma leitura que resulta em sorriso do começo ao fim, seja pelas “participações especiais”, pelo uso inteligente e caloroso das cores ou pela ternura da história. “Caminhos” mostra que o projeto Graphic MSP está longe de se esgotar.

Parceria criativa

Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho se conheceram em 2007 em um bar de Belo Horizonte. Ali, descobriram um interesse comum que, em 2010, resultou na criação do blog Quadrinhos Rasos (quadrinhosrasos.com).

A proposta era criar tiras a partir de músicas conhecidas, com cada um indicando uma canção para o outro e postando uma página por semana.

Em 2011, a dupla publicou a HQ “Achados e Perdidos”, sobre um garoto que acorda com um buraco negro na barriga. O livro acompanhava um CD com uma trilha original composta para a obra.

Em 2013, veio “Cosmonauta Cosmo”, sobre um menino que, impedido de ter um cachorro, busca seu bichinho de estimação no espaço. Agora, com “Bidu – Caminhos”, a dupla conseguiu finalmente dar um cão para um garoto.

“Não acho que consiga fazer um quadrinho melhor sem ser com ele. Ele é muito bom nas coisas que eu não sou. E a gente decidiu que não faz quadrinho para a gente, faz para quem quiser ler”, diz Garrocho.

O que vem por ai

O próximo volume do Graphic MSP será uma continuação do álbum que abriu a série, “Astronauta – Magnetar” (2012), de Danilo Beyruth. A previsão é lançá-lo durante a Comic Con Experience, que acontece de 4 a 7 de dezembro, em São Paulo.

Para 2015, ficaram “Papa-
Capim”, de Marcela Godoy e Renato Guedes, “Turma da Mata”, de Greg Tocchini, Davi Calil e Artur Fujita, e “Penadinho”, de Paulo Crumbim e Cristina Eiko”. Outro volume da primeira leva de álbuns também receberá sequência no ano que vem será “Turma da Mônica – Laços”, de Vitor e Lu Cafaggi.

Os demais títulos já lançados incluem “Chico Bento – Pavor Espaciar”, de Gustavo Duarte, e “Piteco – Ingá”, de Shiko.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo