Com dez indicações ao Oscar, "Trapaça" estreia nesta sexta-feira

Por Caio Cuccino Teixeira
Jeremy Renner (esq.), Bradley Cooper, Amy Adams e Christian Bale estão no centro da trama de ‘Trapaça’ | Divulgação Jeremy Renner (esq.), Bradley Cooper, Amy Adams e Christian Bale estão no centro da trama de ‘Trapaça’ | Divulgação

Em “Trapaça”, que estreia nesta sexta-feira após vencer três Globos de Ouro e ser indicado a dez Oscars, todos os personagens estão em busca de ser algo que não são. É como atuar.

Para Amy Adams, intérprete de uma vigarista que finge ser britânica, é mais que isso. “Sydney quer ser qualquer um que não ela mesma”, explica a atriz. A personagem se apaixona instantaneamente pelo igualmente dúbio Irving Rosenfeld (Christian Bale). “Ela o encontra e a apresenta ao que ela quer ser. Ele a vê como esperta, como inteligente e como uma lady. Ela encontra seu lugar. E aí ele a trai e isso não é legal.”

A dupla é levada pelo FBI a se envolver, nos anos 1970, em uma operação para desbaratar a máfia de Nova Jersey e sua conexão com políticos.

Sydney acaba em conluio com um agente do FBI (Bradley Cooper). Para a atriz, a parceria é mais que apenas vingança. “Acho que há momentos em que ela não tem certeza do que sente por ele”, diz Adams. “Ela não está tão dividida entre dois caras como está dividida entre a verdade e a mentira. Ela vai acreditar em uma mentira que ajudou a criar ou vai acreditar na verdade? A verdade dói. A verdade é bem mais difícil.”

Trajar os vestidos glamorosos da época a ajudou a entrar na personagem, mas tem mais. “Eu treinei para ser bailarina, então tudo sempre se tratou de como contar histórias com o meu corpo”, diz.

“Pensei em pessoas que carregam certa elegância e poder através da sexualidade. Pensei em Ann Margret e Cyd Charisse, dançarinas que estavam no controle pelo jeito como moviam seus corpos.”

Chefe das polêmicas

O diretor de “Trapaça”, David O. Russell, parece gostar de viver polêmicas com seus atores. George Clooney achou “Três Reis” (1999) tão difícil que jurou nunca mais trabalhar com o cineasta, que ficou escandalizado quando veio à tona a história de que ele havia explodido com Lily Tomlin em “Huckabees – A Vida É uma Comédia” (2004).

Ainda assim, atores voltam ao diretor, que levou três deles a conquistarem o Oscar (Bale, Jennifer Lawrence e Melissa Leo) e outros a receberem indicações, como Adams.

A atriz vê de outro jeito a reputação de que o diretor gosta de levar os atores ao extremo. “Sinto que David não pressiona. Ele mostra a realidade. Nem tudo na realidade é sutil. É assim que somos enquanto humanos. Ele encontra os momentos nas vidas das pessoas em que esse extremo é a verdade daqueles personagens”, defende ela.

Oscar 2014 – Indicado nas categorias:

• Filme
• Ator, para Christian Bale
• Atriz, para Amy Adams
• Ator coadjuvante, para Bradley Cooper
• Atriz coadjuvante, para Jennifer Lawrence
• Direção, para David O. Russell
• Roteiro original
• Figurino
• Montagem
• Design de produção

Veja o trailer:


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo