Com mais de 50 anos de estrada, Mestre Solano lança seu 17º álbum

Por fabiosaraiva
Solano é referência na música paraense | Brunno Regis/Divulgação Solano é referência na música paraense | Brunno Regis/Divulgação

O sorriso simpático, a camisa florida e o jeitão tranquilo não entregam que Mestre Solano, aos 72 anos, é de fato um dos maiores músicos do país.

Basta ouvir suas canções em ritmo de guitarrada para entender. Foi a partir dela que Solano lançou 17 discos, sendo o mais recente “O Som da Amazônia”, que acaba de sair pela Natura Musical e traz uma verdadeira volta às raízes, em 13 músicas, sete delas inéditas e apenas duas cantadas.

A sua guitarrada é uma verdadeira aula de energia. Inspirado pela música caribenha, que vinda das ondas do rádio chegavam a Abaetetuba, no Pará, sua cidade natal, o então jovem Solano começou a traçar suas primeiras notas musicais, misturando-as com o carimbó e a lambada. Dedicado, se tornou um dos maiores músicos daquele Estado.

“O Som da Amazônia” - Mestre Solano - Natura Musical - R$ 25 “O Som da Amazônia” – Mestre Solano – Natura Musical – R$ 25

Em seu novo álbum, o Mestre recupera alguns de seus sucessos da década de 1980, em mistura fácil das melodias pop com o virtuosismo dos solos. As músicas inéditas também ganham destaque, como “Rei Solano”, composta por Sebastião Tapajós em homenagem ao guitarreiro, e a vibrante “As Belezas do Marajó”.

Dono do hit “Americana” – regravada recentemente por Arnaldo Antunes –, Solano enfim conseguiu produzir um trabalho com respaldo técnico e financeiro dignos para despejar sua sabedoria em notas de sua amada guitarra Gibson.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo