Conheça três novos lugares que se destacaram pela programação cultural

Por Carolina Santos
106 eventos ocuparam o espaço da praça em 2013 | Divulgação 106 eventos ocuparam o espaço da praça em 2013 | Divulgação

Praça das Artes.

Mesmo com estrutura ainda modesta e orçamento dividido com o Theatro Municipal, o espaço localizado no centro se tornou um novo bom palco da cidade. “Para 2014 os objetivos são terminar as reformas e continuar a programação de destaque”, salienta Aline Sultani, diretora de desenvolvimento institucional. Ela se refere aos eventos na sala do Conservatório (foto abaixo), que recebeu séries do Quarteto da Cidade, do Coral Paulistano e Instrumental. Ao longo de 2013 a Praça acolheu 106 atividades, com um público estimado de 50 mil pessoas, contando o da Virada Cultural.

 

Tenda Circo Paratodos.

O ano terminou triste no Memorial da América Latina, com o incêndio no Auditório Simon Bolivar no mês passado, mas, apesar disso, é possível dizer que 2013 foi um período de boas mudanças no espaço cultural.

Uma das iniciativas que mais deu certo foi a tenda Circo Paratodos, que recebeu nos domingos do segundo semestre uma série de shows, como do Metá Metá, Cérebro Eletrônico e Trupe Chá de Boldo (foto acima). “Pedi para revitalizarem o circo. Os lugares têm que ser bons, para receber o público com conforto”, diz João Batista de Andrade, presidente da Fundação Memorial da América Latina, que trabalha com orçamento para 2014 de R$ 16 milhões e um público estimado de 730 mil pessoas.

Tenda Ortega Y Gasset.

Ela é nova e começou a funcionar apenas em novembro, mas já ganhou destaque por sua beleza e programação diversificada. A tenda é um espaço localizado dentro da USP, mais precisamente na praça do Relógio, capaz de abrigar até 565 pessoas por evento. “A ideia [de montar a tenda] surgiu do cruzamento da necessidade de a Cidade Universitária ter um espaço adequado para abrigar manifestações, eventos, discussões, além de ser um símbolo de uma implantação definitiva de atividades culturais e científicas na universidade”, explica a professora Maria Arminda, pró-reitora de Cultura da Universidade de São Paulo.

A Ortega Y Gasset, cuja implementação teve um custo aproximado de R$ 6 milhões, recebeu aproximadamente 2.800 pessoas para 20 eventos, entre concertos, performances, shows, seminários e espetáculos teatrais.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo