Após 10 anos, Sérgio Reis lança disco com suas inéditas

Por fabiosaraiva
Sérgio Reis não lançava novas canções há 10 anos | Divulgação Sérgio Reis não lançava novas canções há 10 anos | Divulgação

Entrevistar Sérgio Reis é um convite a um longo papo, sem pressa e divertido. E, logo, dá para perceber que, assim como o nome de seu novo disco, com o músico tudo é “Questão de Tempo” (R$ 20, Radar Records).

“Fiquei dez anos sem lançar um disco de inéditas mas eu não estava parado. Gravei discos com parceiros, lancei DVD com amigos, como o Amado Batista, César e Paulinho… Aí chegou a hora de lançar alguma coisa, né?”, explica o cantor, na boa forma de seus 73 anos.

O disco é tudo aquilo que um fã de Sérgio Reis e de música sertaneja pode esperar. Canções animadas, violas, acordeons, tudo amarrado com letras do humor do campo que o cantor conhece tão bem. “Esse disco significa muitas coisas para mim, principalmente poder cantar novas músicas. O público está contente com o álbum e não vou me permitir ficar tanto tempo sem lançar novidades”, diz.

Outro lembrança marcante para o sertanejo em “Questão de Tempo” foi a participação do amigo Moacyr Franco na faixa-título, responsável pelo momento mais romântico do disco. “Ver ele chorar na sala de gravação deixou o momento ainda mais especial. Sou seu grande fã”, comenta Reis.

Projetos é o que não faltam. Além de mais músicas inéditas, Sérgio Reis costura um disco de serestas ao lado de nomes de peso, como Zeca Pagodinho e Maria Bethânia – “já está tudo conversado”, salienta. Também estão previstos mais álbuns para engrossar a lista de mais de cem discos de uma carreira de 45 anos que não deve se encerrar tão cedo. “Só paro de cantar quando parar de respirar”, brinca.

Loading...
Revisa el siguiente artículo