Exposição ‘Como Penso Como’ vai reunir gastronomia, design e cultura

Por fabiosaraiva
1 - Qual é o próximo prato?Entre uma experiência e outra, intervenções multimídia são exibidas na longa mesa preta. | Divulgação 1 – Qual é o próximo prato? – Entre uma experiência e outra, intervenções multimídia são exibidas na longa mesa preta. | Divulgação

Uma exposição sobre comida em que o visitante experimenta, literalmente, o conceito. Assim é a exposição “Como Penso Como”, um projeto criado pela food designer Simone Mattar que envolve história, cultura e gastronomia.

Um dos galpões do Sesc Pompeia foi usado para a instalação. Dividido em três setores, o espaço apresenta experiências sensoriais, histórias e – a melhor parte – um verdadeiro restaurante, com uma grande mesa para 30 pessoas e uma cozinha toda equipada.

A sessão é composta por nove pratos, cada um com uma inspiração diferente, como “A Cabeça do Bispo”, inspirado no Movimento Antropofágico de Oswald de Andrade e que apresenta pequenas cabeças prateadas comestíveis, com o rosto do escritor, recheadas com mousse de sardinha, representando um banquete indígena.

Antes de cada prato, um grupo de artistas faz pequenas intervenções, seja com poesia ou música. O que poderia ser constrangedor acaba sendo uma agradável surpresa (que dá tempo para os cozinheiros prepararem os pratos).

Serviço: No Sesc Pompeia (r. Clélia, 93, tel.: 3871-7700). De ter. a sáb., das 10h às 20h; dom. e feriados, das 10h às 19h. Degustações de qua. a sáb., às 18h e 21h; dom. e feriados, às 13h e 16h. R$ 50 (à venda apenas na bilheteria do Sesc Pompeia). Até 8/9.

2 - Inspirado na Festa do Divino: Impressão de chocolate com mousse de chocolate apimentado, doce de cupuaçu e crocante de Araçá. | Divulgação 2 – Inspirado na Festa do Divino: Impressão de chocolate com mousse de chocolate apimentado, doce de cupuaçu e crocante de Araçá. | Divulgação
3 - Releitura de prato da época da escravidão Mousse de paçoca Amor, pipoca de tapioca, goiabada embalada e uma “renda” de graviola. Tudo é comestível no último prato da noite. | Divulgação 3 – Tabuleiro Brasileiro: Releitura de prato da época da escravidão. Mousse de paçoca Amor, pipoca de tapioca, goiabada embalada e uma “renda” de graviola. Tudo é comestível no último prato da noite. | Divulgação
4 - Sonho Real: Inspirado no último grande baile da monarquia Um travesseiro em cerâmica acomoda um sonho com porção de bacalhau. A coroa é feita de tomate e alho crocante. 4 – Sonho Real: Inspirado no último grande baile da monarquia. Um travesseiro em cerâmica acomoda um sonho com porção de bacalhau. A coroa é feita de tomate e alho crocante.
5 - Ossos do Ofício. Em homenagem  às mulheres de Jardim (MS) As moradoras dessa comunidade esculpem os ossos de bois que levam o ragu de costela e creme de abóbora. 5 – Ossos do Ofício: Em homenagem
às mulheres de Jardim (MS). As moradoras dessa comunidade esculpem os ossos de bois que levam o ragu de costela e creme de abóbora.
Loading...
Revisa el siguiente artículo