Dominguinhos morre vítima de complicações infecciosas e cardíacas

Por Tercio Braga

Morreu nesta terça-feira, dia 23, às 18h, José Domingos de Moraes, o Dominguinhos. De acordo com boletim médico divulgado pelo Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde estava internado desde o dia 13 de janeiro, ele sofreu “complicações infecciosas e cardíacas” e não resistiu.

O cantor lutava contra um câncer no pulmão há cerca de sete anos e também sofria de diabetes.

Antes de ser transferido para a capital paulista, o compositor passou quase um mês – de 17 de dezembro a 13 de janeiro – internado no hospital Santa Joana, no Recife, onde teve de passar por uma hemodiálise por causa de um comprometimento da função renal. No dia 8 de janeiro, teve uma parada cardíaca que foi revertida.

Em agosto de 2011, o sanfoneiro cancelou sua agenda de trabalho por conta de uma internação. Na ocasião, ele passou por vários exames “mais aprofundados” sobre sua saúde depois um princípio de infarto.

Trajetória

José Domingos de Moraes nasceu em 12 de fevereiro de 1941 no município de Garanhuns, no Agreste de Pernambuco. Com 8 anos de idade começou a compor passando pela sanfoninha de 08, 48, 80 e 120 baixos. Em 1950 conheceu Luiz Gonzaga, de quem, cinco anos mais tarde, já morando no Rio de Janeiro, ganhou a primeira sanfona. Em 1956, fez a primeira gravação musical com o Rei do Baião, seu padrinho.

Consagrado como instrumentista, cantor e compositor, Dominguinhos ganhou em 2002 o Grammy Latino com o CD “Chegando de Mansinho”.

Em 2007, foi agraciado com o Prêmio Tim de Música Brasileira na categoria Melhor Cantor Regional. No ano seguinte, foi o grande homenageado da mesma premiação. Em 2010, o artista faturou o Prêmio Shell de Música. No ano de 2012, lançou pela primeira vez em 50 anos de carreira um disco totalmente ao vivo. A gravação aconteceu em dois espetáculos que lotaram o concorrido teatro Sesc Pompéia, na capital paulista.

Também no ano passado, Dominguinhos voltou a faturar o Grammy Latino na categoria Melhor álbum de música de raízes brasileiras com “Iluminado”.

Ao longo da carreira, dividiu os vocais com Gilberto Gil, Elba Ramalho, Chico Buarque, Gal Gosta, Caetano Veloso, Djavan, entre muitos outros.

Passou pelas gravadoras: Polygram, RCA (hoje BMG), Continental, RGE e atualmente Velas, tendo mais de quarenta discos entre LP’s e CD’s.

Entre seus maiores sucessos estão “Tantas Palavras”, com Chico Buarque, “De Volta para o Aconchego” (com Nando Cordel), gravada por Elba Ramalho, e “Isso Aqui Tá Bom Demais”.

A discografia completa:

1964 – Fim de Festa

1965 – Cheinho de Molho

1966 – 13 de Dezembro

1973 – Lamento de Caboclo

1973 – Tudo Azul

1973 – Festa no Sertão

1974 – Dominguinhos e Seu Acordeon

1975 – Forró de Dominguinhos

1976 – Domingo, Menino Dominguinhos

1977 – Oi, Lá Vou Eu

1978 – Oxente Dominguinhos

1979 – Após Tá Certo

1980 – Quem me Levará Sou Eu

1981 – Querubim

1982 – A Maravilhosa Música Brasileira

1982 – Simplicidade

1982 – Dominguinhos e Sua Sanfona

1983 – Festejo e Alegria

1985 – Isso Aqui Tá Bom Demais

1986 – Gostoso Demais

1987 – Seu Domingos

1988 – É Isso Aí! Simples Como a Vida

1989 – Veredas Nordestinas

1990 – Aqui Tá Ficando Bom

1991 – Dominguinhos é Brasil

1992 – Garanhuns

1993 – O Trinado do Trovão

1994 – Choro Chorado

1994 – Nas Quebradas do Sertão

1995 – Dominguinhos é Tradição

1996 – Pé de Poeira

1997 – Dominguinhos & Convidados Cantam Luiz Gonzaga

1998 – Nas Costas do Brasil

1999 – Você Vai Ver o Que é Bom

2001 – Dominguinhos Ao Vivo

2001 – Lembrando de Você

2002 – Chegando de Mansinho

2004 – Cada um Belisca um Pouco (com Sivuca e Oswaldinho do Acordeom, Biscoito Fino)

2005 – Elba Ramalho & Dominguinhos

2006 – Conterrâneos

2007 – Canteiro (Participação Especial no CD de Margareth Darezzo)
2008 – Yamandu + Dominguinhos

2010 – Lado B (Dominguinhos e Yamandú Costa)

2010 – Iluminado Dominguinhos – DVD

2012 – Dominguinhos ao Vivo

Loading...
Revisa el siguiente artículo