Coronavírus já atingiu 610 indígenas no Brasil, diz Apib

Por Metro Jornal com Agência Brasil

Membros de 44 povos indígenas brasileiros já foram atingidos pelo novo coronavírus. O levantamento é da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), que acompanha o avanço do vírus por meio do Comitê Nacional pela Vida e Memória Indígena.

Só no Amazonas, já foram 78 mortes indígenas por coronavírus, ainda segundo a Apib. Em segundo lugar, vêm empatados Pará e Pernambuco, com 7 óbitos.

LEIA MAIS:
Marcos Pontes anuncia tratamento de covid-19 com vermífugo, ainda sem testes concluídos
Amazônia: desmatamento em abril foi o maior dos últimos dez anos

Segundo o boletim, já são 610 casos de infecção pelo Sars-CoV-2, e 103 indígenas já foram a óbito pela covid-19. Na sequência estão Ceará (4), Roraima (3), Alagoas (1), Amapá (1), Rio Grande do Norte (1) e São Paulo (1).

Os dados da Secretaria Especial de Saúde Indígena, entretanto, contabilizam somente 402 casos e 23 mortes, com 151 casos de suspeita de coronavírus.

O órgão do Ministério da Saúde foi atualizado pela última vez na segunda-feira (18). Tais números excluem indígenas moradores da zona urbana, considerando apenas indígenas aldeados.

Segundo a Abip, os povos indígenas em que já há circulação do novo coronavírus são: anacé, arapiun, apurinã, atikum, assurini, baniwa, baré, borari, dessana, fulni-ô, galiby kalinã, guarani mbya, guarani kaiowá, guajajara, xigkarayana, huni kuin, jenipapo kanidé, karitiana, kariri xocó, kaingang, karipuna, kokama, macuxi, mura, munduruku, pandareo zoro, pankararu, pankará, palikur, pipipã, pitaguary, potiguara, sateré maué, tabajara, tariano, tapeba, tembé, tikuna, tukano, tupinambá, tupiniquim, warao, xavante e yanomami.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo