Adolescente tratada com cloroquina morre de coronavírus no Rio de Janeiro

Por Metro Jornal

Jovem de 17 anos de Caxias, no Rio de Janeiro, foi tratada com hidroxicloroquina, mas morreu em decorrência do novo coronavírus. Em nota a Secretaria Municipal de Saúde, afirmou que Kamilly Ribeiro recebeu hidroxicloroquina enquanto estava no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Moacyr do Carmo.

Germaine Ribeiro, mãe da jovem, também teve coronavírus e ficou internada com a filha. “Ela ficava em uma cama e eu em outra. Lembro que ela chegou a sentir falta de ar e pediu para trocar de cama comigo. Também fizemos uso de oxigênio. No dia 24, Kamilly passou mal e vomitou. Gritei e chamei os médicos, aí ela foi levada para outro leito e entubada”, relatou.

Eficácia da cloroquina

A cloroquina é usada tratamento da malária e doenças auto-imunes, mas ainda não há comprovação médica da sua eficácia na covid-19.

Uma pesquisa, publicada no Journal of the American Medical Association (JAMA), analisou 1.438 pacientes infectados pelo coronavírus em hospitais de Nova York para verificar a eficácia do medicamento.

Os pesquisadores analisaram quatro grupos: pessoas tratadas com hidroxicloroquina, pessoas que receberam o medicamento associada à azitromicina (um antibiótico); os que tomaram apenas a azitromicina; e os que não receberam nenhum medicamento.

Diante disso, a pesquisa concluiu que não há nenhuma diferença significativa entre a taxa de letalidade observada nos quatro grupos.

Loading...
Revisa el siguiente artículo