OMS pede liderança 'consistente' após renúncia de Nelson Teich

Por Metro Jornal com Estadão Conteúdo

O pedido de demissão do ex-ministro da Saúde, Nelson Teich, repercutiu durante coletiva diária da Organização Mundial da Saúde nesta sexta-feira (15). Questionado sobre como uma nova troca na liderança do ministério poderia impactar o combate à pandemia, o diretor-executivo da OMS, Mike Ryan, pediu "coerência".

"É crucial que haja coerência e coesão na abordagem da sociedade e da governo, especialmente em grandes federações, onde as comunidades precisam ouvir uma mensagem consistente das lideranças em todos os níveis", afirmou, durante coletiva de imprensa, em Genebra, na Suíça.

LEIA MAIS:
Imprensa internacional repercute saída de Nelson Teich do Ministério da Saúde
MEC promete aplicação do Revalida em outubro

Sobre as especificidades do Brasil durante a crise do coronavírus, Ryan limitou-se a dizer que está ciente da alta no número de novos casos no país e evitou fazer comentários específicos sobre a situação política no País.

Na coletiva, o diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, destacou que pesquisadores no mundo inteiro estão trabalhando com rapidez para entender o vírus e potencialmente desenvolver vacinas, medicamentos e outras tecnologias. "Essas ferramentas são esperanças adicionais na esperança de superar a covid-19, mas não irão acabar com a pandemia se não pudermos garantir acesso igualitário a elas", afirmou.

Tedros Ghebreyesus revelou ainda que a OMS vai lançar uma plataforma aberta e colaborativa de compartilhamento de conhecimento, dados e propriedade intelectual relacionados ao coronavírus. "A solidariedade global vai acelerar a ciência e expandir o acesso para que possamos superar a doença", disse.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo