Funcionários da saúde no RJ têm salários atrasados

Por Metro Jornal com Band.com.br

Profissionais da área da saúde e seguranças dos hospitais de campanha, municipais e estaduais do Rio de Janeiro estão com os salários atrasados.

Em entrevista ao Jornal da Band, um enfermeiro que prefere não ser identificado denuncia a demora no pagamento, bem como as más condições de trabalho.

"A gente percebe que vários colegas, infelizmente, estão adoecendo pela falta de equipamento de proteção individual e pela sobrecarga de trabalho", desabafa. "Muitos colegas não estão sendo repostos. Estão tratando os profissionais de saúde sem respeito algum".

LEIA MAIS:
206 brasileiros retornam ao país após meses presos no Peru
São Paulo tem apenas 47% de isolamento social na quarta

Na maternidade municipal onde trabalha, em São Cristóvão (zona norte do Rio), o contrato firmado com a empresa Rio Saúde em 15 de abril previa salário pago no dia 5 de maio. O pagamento, além dos benefícios, ainda não caiu na conta.

O cenário se repete na rede estadual de saúde. Outro enfermeiro, que também pediu para não ser identificado, trabalha no Hospital Estadual Azevedo Lima, em Niterói, e está sem salário.

“Eu não acho justo a gente estar passando por essa pandemia, saindo de casa cedo, arriscando as nossas vidas…", diz. "Poxa, acho que o mínimo, o digno, é ter o salário em dia".

Hospitais de campanha também são alvos de denúncia. O do Riocentro, na zona oeste, montado para receber pacientes infectados, mal foi inaugurado pela prefeitura e já há indícios de precarização do trabalho.

Segundo funcionários, não estão sendo fornecidos uniformes ou equipamentos de proteção individual (EPIs). Os problemas também se estendem aos profissionais que trabalham na segurança da unidade, que ameaçam parar de trabalhar se o pagamento do vale-refeição e o adicional noturno não forem regularizados.

Confira a reportagem do Jornal da Band a seguir:

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo