Covid-19 já matou sete vezes mais que dengue, zika, H1N1 e sarampo

Por Metro Jornal com Band.com.br

Em apenas dois meses, a covid-19 matou mais brasileiros do que a dengue, chikungunya, zika, sarampo e a gripe H1N1 juntas em todo o ano passado.

A doença causada pelo vírus Sars-CoV-2 já deixou mais de 12.400 óbitos pelo país, enquanto as doenças citadas acima provocaram 1.688.

Em 2019, foram registrados 1.544.987 casos de dengue no Brasil, com 782 mortes. No mesmo ano, foram 132.205 casos de chikungunya e 92 mortes.

Já o vírus zika infectou 10.768 e causou a morte de três pacientes.

LEIA MAIS:
206 brasileiros retornam ao país após meses presos no Peru
São Paulo tem apenas 47% de isolamento social na quarta

O sarampo, que ressurgiu no país no ano passado em meio à baixa de vacinas, fez 15 vítimas e somou 18.203 casos.´Por fim, a gripe H1N1 infectou 3.430 pessoas e matou 796.

Embora a letalidade da covid-19 seja relativamente baixa, a taxa de transmissão do vírus é alta, e tende a aumentar sem o isolamento social. "Como a transmissibilidade é alta, esse 3% representa muita gente, então, o isolamento social – temos que continuar vivendo com ele até aparecer a vacina", diz o médico sanitarista Gonzalo Vecina Neto.

Brasilândia, na zona norte de São Paulo, é o bairro com maior número de mortos pelo coronavírus na cidade, e é também a região da capital que mais registrou casos de dengue e chikungunya no ano passado.

Morador do bairro, o autônomo Manuel Costa teve tanto dengue quanto chikungunya. Há um mês, ele voltou ao hospital com os sintomas de covid-19. “A covid é pior porque a falta de ar a gente acha que não vai suportar nem um minuto a mais”, relatou ao Jornal da Band.

Confira a matéria completa:

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo